O empresário Jarcedi Hahn, que perdeu a mulher para a Covid-19, nessa quarta-feira (4), afirmou que está sem saber o que fazer, já que Cristiane Fagundes Hahn, de 42 anos, era sua companheira de vida. Desde que ela foi internada para tratar a doença, no dia 11 de julho, Jardeci a esperou no gramado do Hospital Metropolitano, em Várzea Grande (MT).

“Estou sem palavras para descrever o que estou sentindo neste momento. Perdi a pessoa que mais amei, a única que tinha ao meu lado”, declarou.

O velório de Cristiane, autorizado pela Prefeitura de Sapezal, onde a família mora, acontece no Salão Paroquial da cidade nesta quinta-feira (5).

“A única coisa que me conforta neste momento é que vou poder me despedir dela, pois deixaram fazer o velório com o caixão aberto. Perder quem a gente mais ama é muito difícil”, disse.

Todos os dias pela manhã Jarcedi, que mora em Sapezal, ia para o gramado do hospital. Em uma cadeira de praia, ele tomava chimarrão e, ao lado dele, ficava outra cadeira, que pertencia à mulher.

Além do marido, Cristiane deixa três filhos. Uma das filhas do casal foi visitar a mãe nessa quinta-feira, no entanto, Cristiane morreu antes da chegada.

Cristiane foi infectada pelo vírus havia mais de um mês e precisou, inclusive, de intubação. No fim do mês de julho, ela chegou a apresentar melhora e retirou o tubo, mas, dias depois, apresentou piora no quadro de saúde e foi intubada novamente.

No momento em que a morte foi confirmada, os médicos autorizaram Jardeci, seguindo todos os protocolos de prevenção à doença, a ver a mulher pela última vez no hospital.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta