A Polícia Federal cumpriu nesta quarta-feira (4) mandados de busca e apreensão no gabinete do vereador Antônio Aparecido Bernardes Filho, na Câmara de Sinop, na região norte de MT, e também na residência dele, no município, durante a 2ª fase da Operação Terra Envenenada, que apura o contrabando e comércio ilegal de agrotóxicos. O parlamentar foi encaminhado à delegacia da PF para prestar depoimento.

A PF não informou quais documentos e materiais foram apreendidos nesses locais.

A defesa do vereador disse, em nota, que ele está tranquilo em relação à investigação e que “nega veementemente qualquer participação ou envolvimento nos supostos ilícitos apurados, e de forma serene espera a correta e eficiente apuração dos fatos”.

Na nota, a defesa do parlamentar alegou que não foi apreendido nada ilícito com ele.

Os mandados foram cumpridos no âmbito da 2ªfase da Operação Terra Envenenada. Além de Sinop, foram cumpridas 15 ordens de busca e apreensão e 10 de prisão em Sorriso, Feliz Natal, em Mato Grosso, além de São Paulo/SP, Campo Grande/MS e Terra Roxa/PR.

Segundo a PF, a ação é para combater a entrada, o transporte e a comercialização de agrotóxicos ilegalmente importados por uma rede criminosa formada a partir do Paraguai e China até o norte de Mato Grosso.

Operação Terra Envenenada fase 2 em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná — Foto: PF/MT

Operação Terra Envenenada fase 2 em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná — Foto: PF/MT

A investigação originou-se da análise do material e depoimentos colhidos na primeira fase da operação, em 2018, quando foi desmantelada organização criminosa e apreendida mais de uma tonelada de agroquímicos contrabandeados ou adulterados.

Desde essa etapa inicial, a Polícia Federal intensificou as investigações e identificou grandes grupos de fornecedores regionais e nacionais, cujos líderes e integrantes foram presos na segunda fase.

Foram apreendidos documentos e materiais de interesse para investigação, agrotóxicos, além de armas irregulares.

Os investigados responderão por comercialização e transporte de agroquímicos de uso proibido, organização criminosa, lavagem de dinheiro e outros crimes que vierem a ser descobertos. As penas variam de 2 a 10 anos de prisão.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta