Os jovens já não são tão jovens assim? Especialista explica como funciona o processo de identificação de uma nova geração

“O que é cringe?” Essa foi a pergunta que muitas pessoas da geração millenials (geração Y) fez nas últimas semana. O surgimento da nova gíria, que significa cafona, brega ou até mesmo ‘mico’, ganhou força nas redes sociais, depois de uma guerra silenciosa entre millenials e geração Z (que são os jovens mais novos). O caso mostra um cenário de conflito de gerações, quando uma faixa etária percebe que está ficando mais velha e que, aqueles que antes eram crianças, agora são os novos jovens criadores de gírias, tendências e que acham tudo o que a antiga geração fazia, brega. Ou melhor, cringe.

A professora do curso de Psicologia da Universidade de Cuiabá (Unic), Yasmin Chacur, explica que o momento se trata de um ciclo e que o processo faz parte do amadurecimento para o mundo adulto. “É importante notar que este movimento pode gerar uma tensão nos adolescentes, pois ainda estão aprendendo a lidar com suas cobranças internas”, diz.

Ela acrescenta que existe um meio termo entre os adolescentes e os pertencentes à geração Y. Isso porque pessoas com mais ou menos 30 anos viveram nos dois momentos e por isso, têm a bagagem dos anos 90 e também foram impactados pelas novas tecnologias. “As responsabilidades já estão postas e sendo experienciadas por este grupo, como a rotina de trabalho, contas a pagar etc., mas os mais novos ainda não possuem essas responsabilidades, apesar de dividirem vários costumes com os mais velhos”, comenta.

Yasmin aponta que o conflito acontece porque sempre existe uma sensação de conforto à época vivida. Usar a expressão “no meu tempo”, por exemplo, ainda traz este sentimento, mesmo que não tenha se passado tanto tempo assim. “Claro que os mais velhos vão dizer que os costumes novos não são tão legais, da mesma forma que os adolescentes acham brega o que os mais velhos fazem. A tendência é sempre considerar o momento em que vivemos melhor do que outros e isso acontece toda vez que uma nova geração surge”, finaliza.

UNIC

Fundada em 1988, a Unic foi a primeira instituição privada de ensino superior no Mato Grosso e é uma das universidades mais conhecidas e tradicionais da região, tendo formado milhares de alunos nos cursos presencias e a distância. Com unidades em várias cidades do estado e representatividade em diversos campos de atuação, a instituição oferece cursos de extensão, graduação, pós-graduação lato sensu, além de programas de mestrado e doutorado.

De portas abertas para a comunidade, a instituição presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Unic oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais.

Em 2010, a Unic passou a integrar a Kroton. Para mais informações, acesse: https://www.unic.br

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta