Em sessão do Tribunal do Júri realizada em Rondonópolis na segunda-feira (21), Linayara da Silva foi condenada a 37 anos e quatro meses de reclusão pela prática de dois homicídios duplamente qualificados por motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas. A ré e Rafael Ferreira da Silva foram denunciados pelo Ministério Público de Mato Grosso pelas mortes de Adilson Protázio Felizarti, ex-namorado de Linayara, e Lucas Alexssander Oliveira Miranda, ocorridas em 2017. O processo foi desmembrado e somente a mulher foi a júri.

Linayara da Silva, que atualmente encontra-se recolhida na Cadeia Pública Feminina da cidade, cumprirá a pena em regime fechado, sem o direito de recorrer em liberdade. Ela também foi condenada ao pagamento de eventuais custas e despesas judiciais.

Conforme a denúncia do MPMT, Adilson e Lucas Alexssander foram assassinados com disparos de arma de fogo, na rua, por volta de 19h do dia 15 de janeiro de 2017. Segundo apurado, a denunciada e Adilson mantiveram um relacionamento amoroso, que foi rompido por ele. Linayara não aceitou o fim do namoro e, diante da negativa de Adilson em retomar a relação, decidiu matá-lo.

Ela adquiriu um chip de celular em nome de terceiro e criou um perfil falso no aplicativo de mensagens WhatsApp, fazendo-se passar por outra mulher. Linayara então passou a conversar com Adilson e marcou um encontro para o dia do crime. Após planejar o crime, a ré passou a localização do ex-namorado para Rafael e outras duas pessoas, que foram ao encontro das vítimas.

No momento da execução, Adilson pilotava uma motocicleta e na garupa estava o amigo Alan de Melo Garcia. Ao lado deles andava Lucas Alexssander. Os autores estavam em um carro, de onde efetuaram os múltiplos disparos. Alan saltou da motocicleta e conseguiu escapar ileso. Lucas foi atingindo por três tiros nas costas e Adilson foi alvejado por onze disparos.

Via | Assessoria MPMT   Foto | Ilustrativa
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta