A mulher e o amante dela foram identificados pela polícia como autores da morte do servidor público Edson Vicente da Costa, de 52 anos, em Tangará da Serra, no dia 6 de novembro do ano passado. A prisão dos suspeitos foi decretada nessa quarta-feira (16).

As investigações apontaram que a mulher do servidor e o amante dela simularam um assalto para executá-lopois queriam ficar com os bens dele.

O homem, que é apontado como o executor, teve o mandado de prisão cumprido na manhã desta quinta-feira (17), no sítio dos pais, na zona rural de Santo Afonso – divisa com Tangará da Serra. Já a mulher, investigada por ser a mandante do crime, é procurada pela polícia.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito será interrogado pelo delegado Adil Pinheiro nos próximos dias, na presença do advogado dele.

A defesa da mulher compareceu na delegacia nesta quinta-feira logo após a prisão do amante e disse ao delegado que a suspeita vai se apresentar ainda nesta quinta-feira.

O delegado decretou o sigilo do inquérito devido à repercussão que o caso teve na cidade.

Pressa dos suspeitos

O delegado responsável pelas investigações, Adil Pinheiro de Paula, disse que a pressa da esposa em acessar os bens do servidor após a sua morte chamou a atenção dos policiais.

Segundo o delegado, os únicos dois interessados na morte da vítima foram justamente os suspeitos que tiveram a prisão preventiva decretada.

Os investigadores apuraram que o casal tinha problemas no casamento, mas não tinham a intenção de se separar para evitar a partilha de bens.

A vítima teria feito dívidas para comprar o carro e a casa, e a mulher estava mantendo um caso extraconjugal e queria que o marido deixasse a residência.

Durante as investigações, segundo a polícia, foram ouvidas diversas testemunhas que apontaram que a vítima não tinha inimigos, no entanto, mantinha um relacionamento conturbado com a mulher.

O crime

Edson voltava de um evento político de moto quando foi abordado na garagem de casa por um homem armado, que efetuou vários disparos de arma de fogo, atingindo a vítima nos braços, tórax e cabeça.

Apesar do suspeito ter fugido com a moto do servidor, as investigações demonstraram que a intenção não foi um roubo e sim a execução.

Logo após os tiros, a mulher de Edson foi chamada por vizinhos e encontrou a vítima caída na garagem. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Edson trabalhava como funcionário público de carreira do município. Ele também era advogado, militante político e apaixonado por futebol.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta