Associação diz que a disparidade em relação a produção e a capacidade de armazenagem é o grande gargalo do setor produtivo.

Mato Grosso é o maior produtor de grãos do país, no entanto, enfrenta um problema: déficit de silos para comportas as safras no estado.

Segundo a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT), a disparidade em relação ao que é produzido (cerca de 70 milhões de grãos) e a capacidade de armazém (2.211 unidades) é o grande gargalo do setor produtivo.

O presidente da Aprosoja, Fernando Cadore, afirma que não há silos suficientes para comportar as safras de soja e milho.

Para incentivar a construção de silos para que o agricultor de pequeno e médio porte tenha onde guardar os grãos, a associação lançou, nesta quarta-feira (16), a campanha Armazém para Todos.

A campanha passa pela questão socioeconômica, uma vez que garante ao produtor maior rentabilidade, tranquilidade na colheita e garantia de alimento o ano todo para o cidadão.

Além disso, reduz o fluxo nas rodovias, custos na produção, desgastes na logística e desperdício de alimentos. O presidente afirma que é preciso desburocratizar o acesso ao crédito para a armazenagem.

Evolução da produção

Mato Grosso avançou em produção, tecnologia e manejo do solo. Para se ter uma ideia, nos últimos 10 anos, o estado evoluiu em mais de 43 milhões de toneladas da produção de soja e milho. Em contrapartida, a capacidade de armazenagem aumentou apenas 11,88 milhões, neste mesmo período.

Com a expectativa de avanço produtivo nos próximos anos, Mato Grosso precisaria ampliar a capacidade estática para 125 milhões de toneladas até 2030, ou seja, teria que apresentar uma taxa de crescimento anual da capacidade de armazenagem na ordem de 22,9%, frente aos 3,7% observados nos últimos anos.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta