Antes de recorrer a linhas de crédito, é essencial analisar a saúde financeira do negócio de forma aprofundada

A avaliação criteriosa da situação financeira do negócio é o primeiro passo antes de apostar em um financiamento ou empréstimo. Especialistas apontam que para resolver os problemas internos do negócio, nem sempre há a necessidade de apostar nas linhas de crédito. Ao ajudar os pequenos negócios, promovendo seu desenvolvimento sustentável, o Sebrae disponibiliza diversos conteúdos em seu portal para tirar dúvidas antes da tomada de decisão. Além disso, a instituição oferece auxílio remoto, neste período de pandemia, que pode ser acionados pelo próprio portal. Dados Unidade de Relacionamento com o Cliente do Sebrae revelam que a busca pelo termo “empréstimo” no portal cresceu 919%, no comparativo de abril de 2021 com abril do ano passado.

“Antes de contrair uma dívida, é importante fazer uma análise criteriosa da saúde financeira da empresa”, explica o analista de capitalização e serviços financeiros do Sebrae, Weniston Abreu. “Se a empresa trabalha com estoque, por exemplo, é fundamental olhá-lo com cuidado. Afinal, se tiver muitos produtos armazenados, uma alternativa é fazer promoções para gerar caixa, garantindo a entrada de recursos”, indica.

De acordo com ele, nos casos de empresas de serviço que dependem das demandas do dia a dia, uma saída é ver quais custos podem ser cortados, que não agregam valor. “Vale reduzir o quadro de funcionários, vender ativos, como alguma máquina ou carro, sem comprometer o negócio. Se ainda assim o empréstimo for necessário, é fundamental pesquisar quais instituições oferecem condições mais adequadas para a necessidade atual da empresa”, acrescenta Weniston.

Diferenças

Para quem deseja apostar no financiamento ou empréstimo, vale entender como cada processo funciona, atentando para as suas diferenças. No primeiro, há uma finalidade particular para o valor retirado da instituição financeira, normalmente voltado para a aquisição de bens. Já no segundo, ele pode ser utilizado pelo empresário sem definição prévia.

“As linhas de crédito com prazo de carência de pagamento, com a quitação para daqui a dois ou três meses, podem ser interessantes. É essencial olhar a capacidade atual da empresa, mas pensando lá na frente, avaliando como será o impacto disso no fluxo futuro. Os empreendedores precisam analisar se a parcela mensal caberá no fluxo financeiro. Esse passo é importante para evitar situação de inadimplência depois, que comprometa o negócio”, lembra o analista.

Ajuda

No caso das empresas de pequeno porte, o Sebrae oferece dicas no portal de como proceder. Além disso, os donos de micro e pequenos negócios têm a oportunidade de agendar orientação com profissionais da instituição e tirar dúvidas. “Ao analisarmos o cenário da empresa, apresentamos as opções disponíveis, expondo as vantagens e as desvantagens. Neste período de pandemia, os agendamentos estão ocorrendo de forma remota nas unidades estaduais do Sebrae”, explica Weniston. Antes de apostar no empréstimo, pode ser interessante contar com a ajuda de um profissional especializado em economia ou de um contador, que conheça a situação financeira da empresa de forma aprofundada.

Mês do crédito

O Sebrae vai realizar, neste mês de junho, um conjunto de ações voltadas a orientar os empreendedores sobre questões relacionadas ao crédito e à gestão financeira de seus negócios. Uma das iniciativas é o lançamento do portal Radar Financeiro. A página traz uma série de conteúdos interativos sobre crédito e finanças, onde os usuários podem saber mais sobre as diversas opções de crédito existentes no mercado, entender se a empresa precisa – realmente – de um empréstimo, conhecer alguns mitos e verdades que envolvem o tema, além de acessar vídeos, textos e cursos online gratuitos sobre o assunto. Confira também, no Instagram do Sebrae, uma série de eventos online que serão realizados ao longo de todo o mês com especialistas convidados.

Via | Assessoria Sebrae
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta