Presidente do Sebrae, Carlos Melles, diz que medida é fundamental para a sobrevivência dos pequenos negócios

A Câmara dos Deputados concluiu, na tarde de quarta-feira (2), a votação da Medida Provisória 1028/21, que dispensa os bancos de exigirem documentos de regularidade fiscal na hora do cliente contratar ou renegociar empréstimos.

O Plenário rejeitou todos os destaques que tentavam alterar o texto do relator, deputado Ricardo Silva (PSB-SP). Uma das principais mudanças implementadas pelo substitutivo foi a extensão do prazo final da regra de 30 de junho de 2021 para 31 de dezembro deste ano. A matéria será enviada agora ao Senado.

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, destacou o apoio integral ao texto da MP aprovado pelos deputados. “Entendemos que a extensão das facilitações do crédito até 31.12.2021, prevista no relatório do Deputado Ricardo Silva, é fundamental. Essa medida já havia sido tomada em 2020.

A dispensa de verificação, durante a pandemia, de certidões negativas tributárias e do FGTS é uma medida essencial para a sobrevivência das MPE nessa crise”, comenta.

Via | Sebrae com informações da Agência Câmara.
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta