“Com ascensão do mercado, cresce busca por corretores imobiliários”

O setor imobiliário driblou a crise em 2020 e continua goleando neste ano. Trata-se do setor imobiliário. As unidades residenciais novas cresceram 9,8% no País, no ano passado, segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), afirma Luiz Nogueira a Istoé

Em São Paulo, o maior mercado da América Latina, a comercialização teve expansão de 4,5% no mesmo período, segundo o Secovi-SP. Excelentes resultados num contexto de retração de 4,1% do Produto Interno Bruto (PIB) do País. Para 2021, as previsões são de crescimento entre 5% e 10% do setor diante de uma alta de 3% do PIB. Qual é o “milagre”?

O “milagre”, na verdade, é a ampla oferta de crédito com juros baixos. No ano passado, o valor recorde foi de R$ 124 bilhões, uma alta de 57,5% em relação a 2019. Para este ano, a previsão é de novo patamar histórico, com expansão superior a 30%.

Ao contrário do que normalmente acontece durante crises econômicas, os bancos não pisaram no freio do crédito imobiliário. As instituições financeiras aproveitaram a queda de juros (taxa Selic) promovida pelo Banco Central nos últimos anos para derrubar ainda mais as taxas das linhas destinadas ao financiamento de imóveis.

Como o imóvel é a melhor garantia que o credor pode ter, os juros desta modalidade são os mais baixos do mercado.
Na prática, juros reduzidos significam parcelas acessíveis ao bolso de quem fecha um contrato de 30 anos. Em muitos casos, a parcela fica menor do que o valor mensal do aluguel, o que vem motivando inúmeras famílias a realizarem o sonho da casa própria.

Para atrair ainda mais clientes, as instituições também lançaram modalidades de crédito atreladas à inflação oficial (IPCA) e à caderneta de poupança. Na ponta do lápis, são oferecidos juros menores do que as taxas das tradicionais linhas prefixadas + TR.

Junto com o ótimo desempenho acompanha a profissão de corretor de imóveis, profissão está que vem sendo cada vez mais requerida pela sociedade nas intermediações imobiliárias.
Não só na compra/venda, mas como nas locações, arrendamento e avaliações .
Hoje no País detém 300 mil corretores e MT 7 mil ativos , presumem-se que ainda se faz necessário dobrar está quantidade para suprir a falta deste profissionais no mercado;

Além do crédito farto e barato, o “milagre” decorre do desejo despertado nas famílias durante a pandemia de buscar um imóvel mais confortável ou mesmo de se mudar de um centro urbano para a praia ou o interior.

Alunos recebem certificados de graduação no setor, pelo Ceteps

QUALIFICAÇÃO EM MT, RO  e MS

CEm Mato Grosso, quem oferta o curso técnico que habilita o corretor de imóveis é a rede de ensino técnico CETEPS,(www.redeceteps.com.br) com 15 anos de mercado, já formou mais de 15 mil profissionais nos estado de MT, MS e RO e virou referência em formação profissional no segmento imobiliário, ofertando ainda curso superior e várias pós graduações focada no mercado imobiliários com os melhores professores especialistas do segmento .

Via | O documento
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta