O TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) decretou, nesta quarta-feira (19), a prisão preventiva da mãe e da avó do menino autista de 8 anos que era mantido em cárcere privado, em Belford Roxo, Baixada Fluminense. As duas foram presas na última segunda-feira (17) por agentes da 54ª DP (Belford Roxo).

Responsável pela decisão, o magistrado Rafael de Almeida Rezende ressaltou o mau estado no qual a criança foi encontrada: “O menor chegou ao hospital fraco, desnutrido, com falhas no cabelo, cicatrizes arredondadas, dentes escuros e em estado de pânico, por ter sido submetido a intenso sofrimento físico e mental por parte de sua mãe e avó, que exerciam a sua guarda de fato e deveriam zelar pelos seus cuidados”.

O menino foi resgatado na última segunda (17) pelo Conselho Tutelar e pela Polícia Civil, após o recebimento de denúncias anônimas de vizinhos da família. As responsáveis não estavam em casa, mas acabaram presas em flagrante no mesmo dia, pelos crimes de cárcere privado e tortura qualificada em razão de a vítima ser criança. O menor foi levado ao Hospital Municipal de Belford Roxo.

No domingo (16), um morador da área teria conseguido pular o muro e fazer imagens do local onde a criança era mantida pela mãe e pela avó, um cômodo apertado e sem acesso ao banheiro.

De acordo com testemunhas, o menino estava confinado no espaço, sem higiene, alimentação e hidratação. As denúncias relatam, ainda, que ele tomava calmantes por ser, segundo a mãe e avó, muito agitado.

O delegado Alexandre Netto reconheceu que, pelo aspecto físico do menor, ele vinha sofrendo maus-tratos há um bom tempo. “Estava em local totalmente insalubre, no qual ele não conseguia sequer se levantar direito, não tinha alimentação, não tinha banheiro. Ele não tinha assistência de qualquer adulto, uma criança de 8 anos, durante horas, quem sabe dias”, disse o delegado.

Via | R7
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta