Novos credenciados irão compor o Banco de Colaboradores do Banco Nacional de Itens (BC-BNI). Inep iniciará segunda turma de capacitação no dia 7 de junho

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) concluiu, nesta segunda-feira, 17 de maio, a primeira capacitação de 2021 para elaboradores e revisores de itens do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ao todo, 166 professores participaram da formação a distância, que teve 40 horas de aula.

O Inep lembra que os novos colaboradores credenciados irão compor o Banco de Colaboradores do Banco Nacional de Itens (BC-BNI) para atuar na elaboração e na revisão pedagógica de itens do Enem dos próximos anos. Nesse primeiro momento, o Instituto apenas capacitou os classificados da chamada pública, referente ao Edital n.º 69, de 17 de setembro de 2020, de forma que a produção de questões para o banco será realizada em outro momento. Vale ressaltar que as provas do Enem 2021 serão elaboradas com itens já existentes no BNI.

Capacitação – Durante o treinamento, os participantes conheceram as normas e os procedimentos técnicos exigidos para desenvolver o trabalho. Nesse sentido, a capacitação tratou de temas referentes às avaliações educacionais da educação básica, como o desenvolvimento de instrumentos e medidas, matrizes de referência, características e funções de um item, além de abordar aspectos sobre a elaboração das questões, incluindo a qualidade delas.

Áreas de conhecimento – Os colaboradores credenciados são responsáveis por desenvolver itens de áreas abordadas no Enem: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias.

Próxima capacitação – No dia 7 de junho, o Inep iniciará a segunda turma de capacitação para elaboradores e revisores de itens para o Enem. O treinamento também será a distância, com previsão de encerramento no dia 5 de julho. No total, serão 40 horas de aula.

Enem – O Exame Nacional do Ensino Médio foi instituído em 1998, com o objetivo de avaliar o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica. O exame aperfeiçoou sua metodologia e, em 2009, passou a ser utilizado como mecanismo de acesso à educação superior, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Programa Universidade para Todos (ProUni) e de convênios com instituições portuguesas. Os participantes do Enem também podem pleitear financiamento estudantil em programas do governo, como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os resultados do Enem continuam possibilitando o desenvolvimento de estudos e indicadores educacionais.

Acesse o Edital nº 69 e retificações 

Acesse o Sistema BNI

Via | Assessoria de Comunicação Social do Inep
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta