Na tarde desta quarta-feira (31/03), um manifesto foi realizado por entidades e associações ligadas ao comércio de Rondonópolis, a carreata em apoio ao setor saiu do Caís do Porto e percorreu várias avenidas da cidade. E contou com a participação do Sindicato do Comércio Varejista de Rondonópolis (Sincomroo), Sindicato dos Empregados no Comércio de Rondonópolis (Secro), Associação Comercial, Industrial E Empresarial De Rondonópolis (Acir), Câmara de Dirigentes Lojistas de Rondonópolis (CDL).

O presidente do Secro, Lucas Gonçalves alerta para o momento que a quarentena de 10 dias está sendo decretada. “Nós que representamos os comerciários estamos muito preocupados pelo desemprego, e pela própria falta de responsabilidade do poder público, porque estamos no dia 31 de março e provavelmente boa parte de nossos comerciários não tem alimentos para passar estes 10 dias e não deram tempo para eles se organizarem, então este protesto é valido”, disse.

A  conta pela desorganização dos governantes não pode ser paga pela sociedade e o comércio, como comentou o presidente da Acir, Renato Del Cistia “Nós vamos mostrar a força da sociedade de Rondonópolis, e temos a convicção e vamos provar por números e indicadores que as pessoas e os trabalhadores estão mais protegidos em seus locais de trabalho do que em casa. A sociedade rondonopolitana vai gritar que é injusto e que esta conta não é nossa”, explicou.

A união inédita neste manifesto entre os sindicatos patronal e laboral, para o presidente da CDL, Thiago Speranza demostra a gravidade e o grau de indignação do setor. “ É um absurdo o que estão fazendo por conta da irresponsabilidade de nossos governantes em não utilizar o dinheiro corretamente no combate a Covid-19, e ai vem o judiciário com suas atitudes unilaterais em apoiar certa decisões, as empresas não são culpadas pela disseminação do vírus ou pelos óbitos”, apontou.

O apoio das entidades patronais ao manifesto é uma declaração clara aos poderes constituídos, que todos os envolvidos no comercio de Rondonópolis estão preocupados com a situação do comerciário, o presidente Sincomroo, Geovane Reis Salles destacou isso em sua fala. “É uma luta que começa a surgir nos sindicatos dos empregados e fomos convocados para entrar nesta luta e estamos juntos com eles para defender o direito ao emprego e o sustento de cada família que dependo do comércio aberto para sobreviver”, finalizou.

Via | Acir
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta