O presidente da AMM, Neurilan Fraga, declarou, nessa segunda-feira (22), que o projeto de lei que emenda cinco feriados para tentar conter a Covid-19, em Mato Grosso, provocará aglomerações e aumento dos casos. O governado deve encaminhar o projeto de lei à Assembleia de Mato Grosso (ALMT) nesta terça-feira (23) para antecipar feriados.

Durante a reunião, Fraga deixou claro que a maioria dos prefeitos é contra a antecipação dos feriados, simplesmente por antecipar as datas. “Se for assim, ao invés de frear a propagação do vírus, haverá uma aceleração ainda maior”, alertou.

O governador Mauro Mendes (DEM) decidiu antecipar cinco feriados a partir de sexta-feira (26). Como a sexta-feira seguinte é a Sexta Feira Santa, seria feriado desta sexta-feira (26) até o domingo de Páscoa (4), totalizando dez dias, como tentativa de reduzir o contágio da Covid-19.

Para a AMM, as pessoas aproveitam os feriados para viajar, visitar parentes, ir para a beira de rios, balneários, confraternizar com familiares e amigos, além de outras atividades de lazer fora de casa.

Nas palavras de Fraga, ‘isso, evidentemente vai provocar aglomerações e consequentemente, vai aumentar a propagação da doença no estado’.

“Por outro lado, se percebe através de dados estatísticos que os picos do contágio se deram após os feriados prolongados, a exemplo das festas de comemoração no final do ano e da própria realização das eleições municipais do ano passado”, disse a AMM.

O presidente da AMM, destacou ainda que, se o governo estadual antecipar os feriados, os gestores defendem que nesse período, sejam adotadas medidas mais restritivas e uma fiscalização mais intensiva, para que desta forma evite a circulação de pessoas, e assim, evita o aumento do número de contágio.

Uma outra situação levantada pelo presidente da AMM, está relacionada a venda de bebidas alcoólicas.

Os prefeitos dizem que são a favor da proibição total da venda de bebidas alcoólicas aos moradores.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta