Aulas estavam ocorrendo de forma online, mas registros fotográficos mostram eventos de estudantes ignorando o distanciamento social e sem o uso da máscara

O número de infectados no surto de COVID-19 no Colégio Fadminas, que funciona em regime de internato, no Bairro Ityrapuan, em Lavras, no Sul de Minas, continua aumentando. Segundo dados do LabCovid, laboratório da Universidade Federal de Lavras (Ufla), que está realizando os exames no local, até o momento foram confirmados 171 testes positivos. 
Em nota publicada na última quarta-feira (3/3), a Fadminas confirma que 254 alunos retornaram ao internato, no câmpus I, situado no Ityrapuan. O texto informa que as aulas estavam ocorrendo de forma online, mas um vídeo do diretor interino, Sérgio Gomes, foi amplamente compartilhado em grupos de Whatssap da comunidade escolar, no qual anunciava o retorno das aulas da educação básica no dia 8 de fevereiro. No vídeo, o diretor não cita as atividades online.
“Estou aqui para dizer para vocês que as aulas da Educação Básica na Fadminas vão começar no dia 8 de fevereiro. Você sabe que neste período de Pandemia o melhor lugar para você estar é na Fadminas. Portanto, já estamos recebendo os alunos para o internato. Dia 31 e 1º estamos recebendo um grupo, dia 7 e 8 de fevereiro um outro grupo, e dia 14 e 15. Você já agendou a sua vinda para cá? Senão, faça contato conosco porque nós teremos alegria em receber você. Este ano vai ser o melhor ano da sua vida, aqui na Fadminas. Esperamos vocês”, diz em vídeo.
As aulas estão no formato online, mas a instituição não limitou eventos de outras práticas. Em uma página oficial da Fadminas na plataforma Flickr, vários eventos com alunos ignorando o distanciamento social e sem o uso de máscaras foram registrados e postados com datas de 13, 14, 15 e 21 de fevereiro de 2021. Quando o surto no internato foi noticiado, a escola apagou os álbuns do sistema com as fotos desse ano e de 2020, quando já estava em período de pandemia.

Álbuns de eventos que ocorreram dentro da instituição em fevereiro foram apagados após divulgação de surto da COVID-19(foto: Redes Sociais/Reprodução)
Álbuns de eventos que ocorreram dentro da instituição em fevereiro foram apagados após divulgação de surto da COVID-19(foto: Redes Sociais/Reprodução)
A assessoria de Imprensa das Faculdades Adventistas de Minas Gerais (Fadminas) informou que “assim que a direção tomou ciência de casos confirmados da COVID-19 dentro da instituição, isolou alunos e profissionais infectados em alas residenciais diferentes, prestando todo auxílio necessário para seu tratamento médico e recuperação. Foi providenciada a testagem dos alunos, visando a segurança de todos. Também foi feito contato e foi dado apoio às famílias dos envolvidos”.
Uma mãe de aluna que testou positivo pediu para não ser identificada, mas contou que ela mesma tentou contato com a Vigilância Epidemiológica e com a Secretaria Municipal de Saúde de Lavras, no dia 24 de fevereiro, quando surgiram os primeiros casos de alunos. “Na nota de esclarecimento eles disseram que estão em contato com os pais o tempo todo. O Daniel, o diretor, nunca ligou para mim para nada. Tudo o que eu sei sobre a minha filha é porque ela me liga e fala. Ele mesmo, o diretor, Luis Daniel, nunca ligou”.
A prefeita de Lavras, Jussara Menicucci, diz que o surto do internato é fato isolado. “Graças a Deus não houve nenhum internação, alguns estão até sem sintomas. Eles estão isolados, o que evita o contágio externo e seguindo as recomendações da Vigilância em Saúde. Tudo sob controle. Ninguém pode sair e o local está sendo minitorado. É um fato isolado, em zona rural sob o controle da Vigilância Epidemiológica da nossa cidade”, pontuou a prefeita em vídeo publicado em sua rede social.

Nota da Fadminas sobre as medidas preventivas 

“A Fadminas reitera que todo o trabalho de orientação e execução dos protocolos de prevenção do COVID-19 está sendo realizado. Os protocolos ratificados, além de colocados no portal da Fadminas e debatidos internamente na instituição, foram explicados ponto a ponto para os alunos, responsáveis legais e colaboradores. As aulas continuam de forma remota, mesmo entre os alunos que moram no colégio, em regime de internato.
A Fadminas reconhece que há necessidade de aprimoramento e constante vigilância, sobretudo, em face das novas variantes do vírus e em razão das atividades internas voltadas exclusivamente aos estudantes que vivem no Campus, em regime de internato.
A Fadminas informa que está acompanhando em tempo integral os alunos e colaboradores que testaram positivo, bem como intensificando os cuidados com o restante do grupo, com o apoio irrestrito da municipalidade. Até o momento, nenhum contaminado apresentou sintomas graves ou precisou de internação.
Por fim, reafirma-se que todo apoio está sendo dado aos alunos e colaboradores da Instituição, bem como o compromisso firme e incansável no sentido de combater e controlar a epidemia, visando a salvaguarda de toda a comunidade escolar e da sociedade”, diz a nota na íntegra.

Ações no Bairro Ityrapuan

A escola Fadminas está situada no Bairro Ityrapuan e muitos funcionários da instituição residem neste mesmo bairro, que é afastado do Centro de Lavras, uma área rural. A testagem em massa ainda não foi realizada em pessoas que moram na região e segundo o coordenador do LabCovid (Ufla), José Cherem, é necessário realizar ações específicas nesta comunidade.
Ele aponta que é necessário ter uma cadeia de investigação sobre o trabalhador que reside no bairro que testou positivo para a COVID-19, isolar e testar os familiares e pessoas que tiveram contato direto. Recomenda-se o uso de máscara a essa pessoa, inclusive, dentro de casa e, se possível, o não compartilhamento de banheiro.
Há também, a necessidade de avaliação dos motoristas e cobradores dos ônibus que fazem a linha de transporte público na comunidade do Ityrapuan para outras localidades.
Segundo José Cherem, um contato maior que 15 minutos com paciente infectado em ambiente próximo, sem o uso da máscara, típico de relações familiares, já tem necessidade de isolamento e de ser testado.
De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Lavras, foram realizados testes em funcionários do internato que moram na comunidade do Ityrapuan e que, segundo a Vigilância em Saúde, deram negativo para a COVID-19.
Via | EMG
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta