A Justiça condenou o empresário que vendeu respiradores falsos à Prefeitura de Rondonópolis, e o homem que se passou por ‘laranja’ durante as negociações.

Ramos de Farias e Silva Filho, que é dono da “Life Med Comércio de Produtos Hospitalares” foi condenado a 8 anos de prisão e Jesus de Oliveira Vieira de Souza, que agiu como laranja, a 2 anos e 11 meses por estelionato e lavagem de capitais.

Mas o Ministério Público Estadual (MPE) recorreu da decisão pedindo que a condenação seja mais severa.

Eles foram condenados por aplicar um golpe no município de Rondonópolis de mais de R$ 4 milhões depois de venderam 22 ventiladores mecânicos falsos no início da pandemia à prefeitura.

Quando os equipamentos chegaram na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, a equipe verificou que, na verdade, eram monitores cardíacos, equipamentos muito mais baratos que os ventiladores mecânicos.

O MPE afirma que a empresa aberta em setembro de 2019 no estado de Tocantins é de fachada e nem mesmo tem uma sede física.

Ramos está preso e o outro réu, Jesus de Souza, continua foragido.

Do valor pago pelos respiradores, a Justiça conseguiu bloquear R$ 3,2 milhões, mas R$ 1,2 milhão não foram recuperados, prejuízo que a prefeitura, por enquanto, vai ter que arcar.

Via | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta