Um bebê de 55 dias está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica do Hospital Santa Casa, em Rondonópolis, esperando por uma cirurgia no coração. Heitor Guilherme Barbosa de Almeida nasceu com uma cardiopatia congênita e precisa passar por uma cirurgia que só é feita em dois hospitais do país.

A família, que é de Sinop, no norte do estado, não tem como arcar com os custos. Só o procedimento custa R$ 187 mil.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou, por meio de nota, que recebeu a referida liminar e já providenciou orçamento para a transferência do paciente para um hospital de referência em cirurgia cardíaca pediátrica fora do estado. Essas providências foram encaminhadas para o Poder Judiciário.

De acordo com a SES, o transporte do paciente será feito em UTI aérea do estado assim que houver a autorização da Justiça.

Heitor tem uma doença em que há uma anormalidade da estrutura e na função do coração desde o nascimento. O pai do menino, Dener Alves de Almeida, conta que a família notou que algo não estava certo quando a mãe ia amamentar Heitor.

No dia 3 de janeiro, o bebê teve uma crise forte na casa dos pais, em Sinop. Assustados, eles correram com filho para a Unidade de Pronto Atendimento da cidade. Depois disso, tiveram que encaminhar o menino para outra unidade.

O bebê está internado na Santa Casa desde domingo (10).

Ele foi transferido para o hospital para passar por um procedimento cirúrgico. No entanto, os médicos dizem que o caso dele é muito complexo e que a cirurgia que ele precisa só pode ser feita em dois hospitais do país: um que fica em São José do Rio Preto (SP) e outro em Curitiba (PR).

De acordo com Dener, a cirurgia custa R$ 187 mil, dinheiro que a família não tem.

Por isso, ele acionou a Promotoria de Justiça de Sinop.

O Ministério Público Estadual (MPE) entrou com uma ação civil pública pedindo o bloqueio de R$ 250 mil nas contas do governo estadual e do município de Sinop, para arcarem com o procedimento e com o transporte da criança em UTI aérea.

Como o caso de Heitor requer urgência, ainda nessa quarta-feira (13), a Justiça de Várzea Grande acatou o pedido e determinou a transferência imediata dele para o hospital de base de São José do Rio Preto.

A família diz que teme pela vida do bebê nesses dias de espera e aguarda pela transferência de Heitor o mais rápido possível.

Via | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *