Dois desaparecimentos com desfechos diferentes intrigam a polícia de Mato Grosso e estão rodeados de mistérios. Começando pelo mais recente, o caso Heitor Maciel, 2 anos, é o assunto do momento com repercussão nacional.

Heitor desapareceu na véspera de Natal, numa chácara que fica próxima da MT-449 e da fundação Rio Verde, na saída de Lucas do Rio Verde para Tapurah. Ele mora com a família em Campo Novo do Parecis e foram juntos a Lucas para  passar as festas de fim de ano.

Heitor voltou para casa após ficar internado e fazer vários exames, principalmente, para descobrir se ele sofreu algum abuso. O mais importante é que agora está em casa com a família, diferente de Samuel

A tia do menino, Luciene, contou  que a criança estava dormindo quando de repente houve uma queda de energia. Assustados, os pais do menino Diego de Souza e Marcela Maciel, com demais familiares, foram até o disjuntor para ver o que aconteceu. No entanto, ao retornar a casa o menino já havia desaparecido.

Desde então foram 3 dias de buscas e somente no domingo (27) a criança apareceu com vida no aterro sanitário da cidade, local onde a polícia e os bombeiros haviam feito buscas por mais de uma vez. No local foram encontradas pegadas de adultos, porém, não do menino que teria chegado ao aterro caminhando.

Heitor não apresentava desidratação e exames preliminares apontam que ele se alimentou durante o desaparecimento. Como pode uma criança de apenas 2 anos “se virar” bem melhor que um adulto em meio à mata?

A Polícia Civil de Lucas do Rio Verde tenta descobrir. Tudo segue em sigilo, mas com grande possibilidade de prisões. Pelo menos é o que se comenta nos bastidores da investigação.

Heitor voltou para casa após ficar internado e fazer vários exames, principalmente, para descobrir se ele sofreu algum abuso. O mais importante é que agora está em casa com a família.

O fato recente nos remete ao passado e a uma pergunta sem qualquer tipo de resposta. Onde está Samuel?

Para refrescar a memória, vamos lembrar que Samuel Victor Carvalho tinha 6 anos quando desapareceu da casa da avó em Rondonópolis, há um ano, e infelizmente, até o momento sem um final feliz.

A única certeza que temos até agora sobre o desaparecimento do menino Samuel é de que quanto mais  o tempo passa, menos chance temos de encontrá-lo.

 A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso, em setembro passado, fez novas diligências no município de Campo Verde para apurar informações sobre o seu possível paradeiro.

A denúncia apontava que no dia 22 de agosto uma criança, que poderia ser o garoto desaparecido, estaria em uma residência no bairro São Miguel. Diante das suspeitas, os policiais foram até o suposto endereço onde a criança estaria, mas a moradora não estava e, mesmo assim, foi possível identificar a suspeita.

Em pesquisas nas redes sociais, os policiais analisaram fotografias da mulher com várias crianças, entre elas o menino que supostamente seria Samuel, porém, após checagem em sistemas, os investigadores constataram que ela de fato tem um filho da mesma idade e com características físicas semelhantes a Samuel.

A única certeza que temos até agora sobre o desaparecimento do menino é de que quanto mais  o tempo passa, menos chance temos de encontrá-lo. Ou seja, uma resposta muito mais difícil que descobrir se Heitor foi mesmo raptado.

Via | RMT

(Visited 1 times, 6 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *