Edital da Fundação Cargill beneficiará 46,7 mil pessoas em todo o país, por meio de projetos que promovem alimentação segura, sustentável e acessível

A Fundação Cargill apresenta os 14 projetos brasileiros selecionados para receber apoio técnico e financeiro da 6ª edição de seu edital. O programa tem como objetivo a promoção da alimentação segura, sustentável e acessível, e auxilia iniciativas com este propósito, localizadas nas comunidades próximas das unidades e escritórios da Cargill. Em 2021, as instituições selecionadas receberão entre R$ 50 mil e R$ 200 mil e beneficiarão 46,7 mil pessoas.

As propostas recebidas ao longo do ano foram avaliadas quanto ao alinhamento e coerência da sua missão com o propósito da Fundação Cargill. Além disso foram verificados a consistência do planejamento e gestão; o impacto e a relevância frente ao contexto local em que se pretende atuar; o potencial de escala e a consequente transformação social; além de fatores que asseguram a continuidade da iniciativa.

Realizado desde 2014, o Edital da Fundação Cargill já apoiou mais de 61 projetos. “Cada vez que lançamos um edital, recebemos iniciativas que fazem a diferença onde estão inseridas. Nesse ano, não foi diferente e a escolha é sempre muito difícil. Por isso, já estamos elaborando novidades para a próxima edição. As iniciativas escolhidas nesse ano possuem propostas que poderão trazer benefícios não somente para as pessoas que participam, mas também um impacto positivo socioambiental para a região e isso é muito importante para nós. Esperamos que, com o nosso apoio, eles possam continuar o trabalho junto às comunidades, crescer e prosperar cada vez mais”, afirma Flávia Tayama, diretora da Fundação Cargill no Brasil.

Conheça os projetos selecionados:

Nutrição e desenvolvimento regional a partir da pupunha, Porto Velho (RO) – desenvolvida pela Fundação Universidade Federal de Rondônia, a iniciativa propõe a utilização sustentável do fruto da pupunheira como ingrediente para melhoria da qualidade nutricional de alimentos ofertados à população, promovendo segurança nutricional e alimentar, além de desenvolvimento regional. A equipe fornecerá treinamentos para os produtores rurais e auxiliará na inserção do produto na merenda escolar, beneficiando mais de 20 mil pessoas entre alunos da rede pública de ensino, educadores, idosos de abrigos e comunidade rural.

Semeando Agrofloresta: geração de renda aliada à preservação da biodiversidade, Uberlândia (MG) – criado pela Associação Camponesa de Produção da Reforma Agrária do município de Uberlândia, o projeto tem como objetivo organizar toda a cadeia produtiva dos alimentos orgânicos, desde a sua produção agroflorestal. A iniciativa irá construir e estruturar uma agroindústria e fomentar a comercialização desses produtos em diversos mercados locais, inovando e fortalecendo o empreendedorismo da ACAMPRA.

Hortas Urbanas São Mateus IV e V, São Paulo (SP) – projeto da Organização Cidades Sem Fome visa a criação e operação de duas hortas urbanas orgânicas. Elas irão gerar trabalho e renda para a população carente e desempregada da região de São Mateus, na cidade de São Paulo.

Fortalecimento do Banco de Alimentos contra o desperdício e a favor de comunidades em situação de vulnerabilidade social, Goiânia (GO) – desenvolvido pela Organização das Voluntárias de Goiás, o projeto tem como objetivo a geração de alimentos oriundos de frutas e hortaliças desidratadas. Feitos no Banco de Alimentos do CEASA, em Goiânia, toda a produção será distribuída para ONGs cadastradas a fim de impulsionar a capacitação da comunidade e combater o desperdício de alimentos. Essa iniciativa beneficiará mais de 12 mil pessoas atendidas pelas instituições.

Raízes na Cozinha, São Paulo (SP) – projeto da Associação Migraflix, que tem o objetivo de apoiar refugiados imigrantes na geração de renda e desenvolvimento de seus próprios negócios. Dessa forma, serão realizados mentoria e cursos para capacitação em empreendedorismo gastronômico, canais de venda, suporte técnico digital e geração de microcrédito. A equipe pretende desenvolver a metodologia por meio de ferramentas tecnológicas para maior integração socioeconômica.

Guabiroba: manejo agroflorestal, estruturação de cadeia produtiva com geração de renda para a agricultura familiar e desenvolvimento de novos ingredientes alimentícios, Irati (PR) – criado pela startup Heide Indústria e Comércio, a iniciativa promoverá a estruturação da cadeia da Guabiroba na região de Irati/PR, por meio da agregação de valor na base produtiva, desenvolvimento de novos ingredientes para indústria de alimentos e articulação de mercado.

Saberes e Sabores: gerando alternativas de emprego e renda por meio da alimentação para mulheres em situação de vulnerabilidade, Goiânia (GO) – projeto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), que irá estimular transformações pessoais, culturais, sociais e econômicas para 120 mulheres em situação de extrema vulnerabilidade (violência doméstica e vulnerabilidade econômica) residentes na Região Metropolitana de Goiânia, por meio de um curso de habilidades básicas de venda e produção de alimentos.

Produção de mudas em viveiro para implantação da fruticultura para agricultores familiares e assentados da reforma agrária, Nova Ubiratã (MT) – desenvolvido pela Cooperativa Central Mato-Grossense da Agricultura Familiar (CCMAF), a iniciativa visa a implementação da fruticultura e a olericultura, gerando emprego e renda para a agricultura familiar de 50 pequenos produtores rurais da região e de mais quatro Assentamentos Rurais do INCRA. Ao todo, serão distribuídas 50.000 mudas.

Proseando sobre Leite, Brasilândia (MS) – a Associação dos Produtores de Leite de Brasilândia (APLB) fornecerá a suplementação animal para 25 famílias ligadas às associações Almanara, APLB, Esperança, Pedra Bonita e Santana Santa Emília, buscando assim a melhoria na qualidade e quantidade do leite na época de estiagem.

Comer e brincar na escola. Promovendo hábitos saudáveis e evitando o desperdício, São Paulo (SP) – o projeto apoia as Secretarias Municipais de Educação em cinco municípios brasileiros na formação de profissionais, contribuindo para a inserção da alimentação e do movimento, na perspectiva da promoção da saúde e sustentabilidade, como atividade educativa incorporada ao projeto pedagógico das unidades de Educação Infantil.

Feira Sustentável da Agricultura Familiar da Unochapecó, Chapecó (SC) – criado pela Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste, o projeto tem como objetivo dar acesso a toda comunidade do entorno da universidade a produtos saudáveis com preços justos, fomentando o empreendedorismo dos agricultores familiares atrelado a processos de educação alimentar, nutricional e gastronômicos e incentivo à redução dos desperdícios.

Prato Firmeza: Campo e Cidade, São Paulo (SP) – o projeto mapeia os empreendimentos gastronômicos na periferia de São Paulo, e agora irá mostrar por meio do jornalismo audiovisual, histórias sobre a cadeia de alimentação no campo e na cidade. Será produzida uma série de 4 episódios gravados em Parelheiros e São Mateus, em São Paulo, e nas regiões de Bragança Paulista e Mogi das Cruzes. A proposta da Associação de Escola de Jornalismo é olhar profundamente para essa cadeia, apresentando o diálogo entre produtores e empreendedores, mas partindo do ponto de vista dos próprios jovens, com seus diferentes perfis e suas relações com a comida e com o jornalismo.

Startup Tech: Desafios da Amazônia, Porto Velho (RO) e Santarém (PA) – iniciativa da Associação Wylinka visa a criação do circuito de programas (Bootcamp e Sprint) que desenvolvam soluções de base científica e tecnológica, criadas por estudantes universitários das regiões de Porto Velho e Santarém, para os desafios da cadeia de alimentação da Amazônia.

Projeto Cacau Digital, Ibirapitanga (BA) – criado pela startup ManejeBem, Assessoria em Agricultura Sustentável, o projeto irá implementar plataforma de assistência técnica agrícola para aumento da escala de trabalho do técnico a campo e acompanhamento de indicadores de sustentabilidade e estruturação da cadeia produtiva do cacau. A iniciativa atenderá a comunidade Joaquim da Mata, em Ibirapitanga (BA).

# # #

Sobre a Cargill

Os 155.000 funcionários da Cargill em 70 países trabalham incansavelmente para alcançar nosso propósito de nutrir o mundo de forma segura, responsável e sustentável. Todos os dias, conectamos agricultores com mercados, clientes com ingredientes e pessoas e animais com os alimentos de que precisam para prosperar.

Combinamos 155 anos de experiência com novas tecnologias e percepções para servir como um parceiro confiável para clientes de alimentos, agricultura, serviços financeiros e industriais em mais de 125 países. Lado a lado, estamos construindo um futuro mais forte e sustentável para a agricultura.

Sobre a Cargill Brasil

No Brasil desde 1965, somos uma das maiores indústrias de alimentos do País. Com sede em São Paulo (SP), estamos presentes em 17 estados brasileiros por meio de unidades industriais e escritórios em 147 municípios e 11 mil funcionários. Para mais informações, acesse https://www.cargill.com.br e nossa área de imprensa .

Sobre a Fundação Cargill

Desde 1973, a Fundação Cargill tem sido um agente transformador nas comunidades e causas em que atua. Seu foco está voltado à promoção da alimentação segura, sustentável e acessível. Em 2020, a Fundação Cargill beneficiou mais de 63 mil pessoas em mais de 70 municípios, com desenvolvimento e apoio de 35 projetos, além de fomentar a atuação de 71 comitês de voluntariado corporativo com mais de 1.400 voluntários. Para mais informações, acesse: https://www.alimentacaoemfoco.org.br .
Via | Assessoria Cargill
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *