Nesta semana que começa no dia da República do Brasil, dia 15 de novembro, uma frente fria avança da Região Sul e provoca mudanças nas condições de tempo. Nos próximos dias, áreas do Sul, Sudeste e até no Nordeste ficam com risco para temporais com o avanço do sistema, associado à circulação atmosférica de níveis superiores. Acompanhando a frente fria uma massa de ar de origem polar provoca queda de temperatura no decorrer da semana principalmente entre o Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.

A frente fria avança do Rio Grande do Sul para as demais áreas da Região Sul, para o estado do Mato Grosso do Sul e São Paulo entre esta segunda (15) e terça-feira (16). O sistema fica associado à circulação dos ventos em médios níveis da atmosfera a partir da terça-feira (16), que reforça as instabilidades, o que aumenta o risco de temporais.

Neste período as pancadas de chuva mais fortes e o risco de temporais fica elevado entre o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e o Mato Grosso do Sul. O sistema ajuda a organizar um cavado meteorológico que tende a provocar formação de instabilidades em Goiás, no Distrito Federal, em São Paulo e nos estados de Minas Gerais e Rio De Janeiro nos dias posteriores.

Na quarta-feira (18) a frente fria avança em alto mar da costa de São Paulo e se posiciona entre a costa do Rio de Janeiro e do Espírito Santo no final do dia. Com isso, as pancadas de chuva devem atuar com forte intensidade entre os estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro. O cavado meteorológico potencializa as instabilidades associadas ao calor e à umidade no interior de São Paulo, em Goiás e no oeste de Minas Gerais.

Na quinta-feira (19) a frente se posiciona na altura do estado do Espírito Santo e a circulação atmosférica favorece ainda à formação de muitos núcleos de chuva forte entre o Mato Grosso, Goiás, o Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e também no território capixaba. Há risco de temporais, chuva volumosa, ventania e raios em todas as regiões. Nos grandes centros urbanos há risco de alagamentos e devido aos acumulados de chuva o risco de transbordamento de córregos e rios fica elevado.

Na sexta-feira (20) o cavado meteorológico perde força em algumas áreas e passa a atuar juntamente com a frente fria em áreas mais restritas, entre o nordeste de Minas Gerais, o estado do Espírito Santo e o sul da Bahia. Nestas áreas há risco de chuva forte e volumosa e raios. As instabilidades nas demais áreas onde há grandes volumes de chuva previstos, conforme indicado pelas áreas de tons mais avermelhados do mapa abaixo, devem ficar associadas à formação de um ciclone extratropical em alto mar.

Este sistema vai favorecer a ocorrência de grandes áreas de instabilidade no interior das Regiões Norte e Nordeste, abrangendo os estados do Tocantins, Piauí, Bahia e o extremo oeste de Pernambuco.

A chuva deve acontecer com forte intensidade principalmente entre a sexta-feira (20) e o domingo (22) e a chuva deve ocorrer de forma persistente pelo menos até a segunda-feira (23). Dentro deste período, há risco de chuva volumosa, o que pode acarretar em grandes alagamentos dentro de centros urbanos e deslizamentos de terras.

Fonte | Assessoria Climatempo

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *