A atual gestão de José Carlos do Pátio (SD) trabalha na construção de 22 creches e pré-escolas em Rondonópolis. Já em Cuiabá e VG, trabalham em 10 e 7, respectivamente.

Terceira maior cidade do Estado de Mato Grosso, Rondonópolis (212 Km da Capital) se destaca em número de creches e pré-escolas construídas nos quatro anos de gestão. Enquanto que em Cuiabá foram contabilizadas 10 construções e em Várzea Grande, 7, a cidade localizada na região Sul desponta com 22 unidades de educação construídas.

Com o principal objetivo de universalizar a educação infantil, o prefeito e candidato à reeleição pelo Solidariedade, José Carlos do Pátio, desenvolveu frentes positivas durante a atual gestão. Além da construção de 17 creches e 5 escolas, o prefeito trabalha também na obra de 11 quadras cobertas e na reforma e climatização da totalidade de unidades educacionais do município.

As obras de construção foram provenientes de recursos próprios da prefeitura. Para as creches, foram investidos mais de R$ 33,6 milhões. Já para a construção de pré-escolas na cidade, o total chegou a mais de R$ 7,7 milhões. A previsão é que todas as unidades estejam prontas para o próximo ano letivo.

Referência na educação

Com boa avaliação no último IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), a educação na rede municipal de Rondonópolis está mais próximo do que o prefeito, José Carlos do Pátio, considera ideal para as crianças da cidade. Segundo ele, foi feito muito nesta gestão, mas há ainda mais para se fazer para que o município seja referência na área.

“Um país só tem futuro se investirmos na educação. E no Brasil, se comete um erro grave, pois investe-se muito na educação no ensino fundamental. E em países de primeiro mundo, como Noruega, Finlândia e Nova Zelândia, eles zelam pela educação desde o nascer da criança. E em um país sério, a responsabilidade das crianças, dos nossos filhos, não é só da família. A responsabilidade é também do Poder Público”, disse o gestor.

Ainda sobre a importância da educação infantil desde o nascimento, o prefeito acredita que somente deste modo é possível que a criança possa se desenvolver de forma igualitária com as outras. Para ele, a medida evita que haja segregação durante a infância, o que pode causar bullying dentre outras violências físicas e psíquicas.

“Eu sinto que se você quer discriminar e segregar um povo, é investir na educação infantil diferente de uma criança da outra. Porque, se meu filho não faz creche ou pré-escola, e coloca ele em um ensino fundamental, e coloca o outro numa creche e pré-escola, quem vai entrar melhor? É o filho do outro. E o meu filho já começa o primeiro ano primário segregado. Por isso eu priorizei na construção desta quantidade de creches”, afirmou.

Fonte | Assessoria

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *