Com as obras iniciadas, o novo ‘Centro Político’ terá Prefeitura, Secretarias Municipais, Fórum da cidade. Município investiu R$ 7 milhões e conta com parceria de empresários.
 
Em parceria com empresários da região e entidades públicas, o prefeito José Carlos do Pátio (SD) iniciou a implantação do Centro Político Administrativo (CPA) em Rondonópolis (212 Km de Cuiabá). O projeto tem como principal objetivo dar maior fluidez ao fluxo de carros e também melhorar a logística de órgãos governamentais.
Circundada pelas principais avenidas da cidade, o novo CPA de Rondonópolis deve ocupar 50 hectares de área na região do bairro Alfredo de Castro. De acordo com a Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo, órgão responsável pelo projeto, até o momento foram investidos R$ 7 milhões.
Ainda conforme a pasta, está planejada a construção da nova Prefeitura, Câmara de Vereadores, Secretarias Municipais e também o Fórum da cidade. O prefeito, José Carlos do Pátio (SD), analisa que o projeto de construção do espaço faz parte do crescimento de Rondonópolis.
“Eu tenho um carinho muito grande pela região da Alfredo de Castro. E vejo um grande potencial neste lugar. Foi por isso que me reuni com a minha equipe técnica para pensarmos juntos, ver qual a forma de atender as demandas da cidade e da região. Foi aí que decidimos construir o CPA aqui”, disse o gestor da cidade.
As obras já foram iniciadas e, atualmente, está em fase de infraestrutura com a abertura de ruas e avenidas que compõem o local. Conforme a pasta, o espaço já possui licença ambiental e logo em breve os trabalhos de construção dos órgãos poderão ser iniciados.
Agilidade no atendimento
Para acompanhar o crescimento da cidade, é preciso entender a logística de atendimento aos contribuintes. Desta forma, o funcionamento dos órgãos no mesmo espaço possibilita um suporte mais ágil, uma vez que os serviços oferecidos pela prefeitura são espalhados pela cidade devido às secretarias estarem em endereços diferentes.
“A opção por ter um espaço único onde todos os servidores possam trabalhar integrados, vai possibilitar ainda mais um modelo de gestão moderna e transparente. Esse novo formato garante ao cidadão decisões imediatas”, enfatizou a secretária interina de Habitação e Urbanismo, Huani Maria S. Rodrigues.
Além da agilidade no atendimento à população, o projeto vem como uma forma de economia de caixa à gestão municipal. Isso porque, boa parte dos órgãos municipais dependem de aluguéis de prédios para o funcionamento de cada um.
“Nessa perspectiva, a economia não ficará restrita a esses aluguéis e à manutenção dos mesmos. Já que os servidores estarão atuando no mesmo ambiente, reduzindo o deslocamento de veículos, consumo de combustível, energia, telefonia, entre outros gastos que são feitos atualmente”, explicou.
Poderio de trafegabilidade
A construção do Centro Político Administrativo em Rondonópolis foi resultado de um comum acordo entre os principais órgãos públicos da cidade. A intensificação da trafegabilidade e a falta de estacionamento na região central, foram os fatores que motivaram a construção do espaço.
“A prefeitura está em um local de difícil acesso para estacionamento. A Câmara de Vereadores e o Fórum precisam de um novo espaço também. Então, hoje uma cidade com um crescimento como Rondonópolis, era necessário se pensar grande”, afirmou a secretária.
A secretária ainda ressaltou que o projeto começou a ser desenvolvido pelo antigo secretário, Paulo José. Segundo ela, o local foi escolhido para atender a trafegabilidade da cidade, além de chegar ao entendimento que Rondonópolis merecia projetos à altura do próprio município.
“Dentro desta proposta, foi olhado geograficamente a cidade. E foi chegado o entendimento que aquela região que compõe o Jardim Atlântico, Granville, Alfredo de Castro, e onde já se encontra a Universidade Federal de Rondonópolis também se encontra o Parque de Exposição, e é uma região de crescimento muito acelerado”, avaliou.
Novos órgãos
As obras atualmente trabalham na abertura de avenidas e no término de loteamentos para a construção dos órgãos públicos. No momento, estão pleiteados o espaço para o Fórum, Câmara de Vereadores, Prefeitura e Secretarias do município. Este último, segundo Huani, será um grande ganho ao poder público.
“Existem várias secretarias que alugam os prédios para serem sede. Então, é por isso que nós vamos fazer uma sede própria. A Habitação, Educação e Saúde, por exemplo, são todos prédios alugados. Daí todos vão ter prédios próprios no novo CPA”, afirmou.
Além de enfatizar a parceria com outros poderes da cidade, a secretária frisou também empresas que entenderam e compartilham o projeto de crescimento de Rondonópolis. “Estas empresas são parceiras nossas, na execução da avenida. Ela vai construir um condomínio ao lado e em contrapartida vai construir uma avenida que é a Padre Lothar e parte da Alfredo de Castro”, afirma.
“A área que compõe 50 hectares, a implantação do novo CPA na cidade de Rondonópolis será um dos grandes legados da atual gestão da prefeitura. Isso mostra o compromisso que o prefeito José Carlos do Pátio tem com a população em geral, que vai até a classe empresarial que ganha muito com esta grande obra”, finalizou.
Fonte | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *