Em parceria com a Apor, a prefeitura de Rondonópolis conseguiu alcançar números gratificantes no total de exames. A fila de espera para consulta chegava a 8 mil pacientes.

As filas de atendimento para o exame do câncer de mama foram zeradas em Rondonópolis (212 Km de Cuiabá), localizada na região Sul do Estado. Realidade bem diferente há quatro anos, período em que a lista de espera chegava a 8 mil pacientes.  A ação foi desenvolvida pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Saúde da cidade.

Em parceria com a Associação dos Pacientes Oncológicos de Rondonópolis (Apor), o município conseguiu alcançar um total 14.613 atendimentos em quase quatro anos (até julho de 2020). O número, inclusive, conta com residentes de outras cidades da região.

Esta parceria resultou em avanços significativos na saúde pública local. Enquanto que em 2017 foram feitos 2.575 exames da mama, em 2018 o número quase dobrou para 4.757. O total corresponde a um aumento de 84% de atendimentos.

O mesmo avanço ocorreu no ano seguinte, em que a secretaria totalizou 4.812 exames mamários. Já em 2020, mesmo com a pandemia, os quatro primeiros meses do ano comparados com 2019, o aumento no número de exames foi de 20%.

No entanto, mesmo com os números gratificantes no início do ano, houve uma queda com a chegada do Coronavírus. E com a flexibilização na cidade, a prefeitura reforça a campanha do Outubro Rosa para que o exame mamário seja feito e acompanhado na região.

Outubro Rosa em Rondonópolis

Com a chegada do mês, a campanha Outubro Rosa ganha força não só no país, mas como aqui em Rondonópolis. Mulheres acima de 40 anos, podem marcar o exame da mama com atendimento quase que imediato no município.

“A nossa rede municipal de saúde possui uma ótima estrutura para a realização dos exames. Para se ter uma noção, o tempo médio de uma mamografia é de 5 a 10 dias entre o pedido e a realização”, disse o secretário de saúde, Marcus Vinícius das Neves Lima.

Atualmente, a cidade de Rondonópolis disponibiliza aproximadamente 400 vagas por mês para a realização de mamografias. No entanto, com a chegada da pandemia, o número de agendamentos gira em torno de 100 exames por mês. No entanto, a expectativa é que este número aumente conforme a flexibilização.

Cuidados necessários

De acordo com a Secretaria de Saúde do município, no geral, os exames são feitos em mulheres acima de 40 anos, uma vez ao ano ou a cada dois (conforme o diagnóstico do médico). Para mulheres mais novas, é indicado o ‘auto-exame’ das mamas, bem como consultas ginecológicas para a realização do exame clínico (palpação da mama pelo profissional da saúde).

Além disso, segundo a pasta, exames de imagem podem ser feitos quando necessários. Isso porque, em alguns casos, mulheres podem ter histórico familiar com fatores genéticos ou de outros. Desta forma, o rastreamento com mamografia ou ressonância magnética devem ser feitos antes da idade recomendada.

O titular da pasta municipal de saúde reforça tanto o auto-exame como o especializado. Ele alerta que, quanto mais cedo o câncer for detectado há mais chances de cura que pode chegar até 95%.

“Com a identificação antecipada aumenta muito a probabilidade de sucesso na realização do tratamento. É de extrema importância que todos se mobilizem para que mulheres possam fazer o exame e se atentem da necessidade dos cuidados consigo mesmo”, destaca o secretário.

Fonte | Assessoria

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *