O deputado estadual Henrique Lopes e o candidato ao Senado, deputado estadual Valdir Barranco, substituído pelo professor sindicalista, realizaram, na noite de quarta (30), um Ato Político da posse de Henrique e o lançamento da campanha de Barranco como senador. Para ele, é importante que os mato-grossenses elejam representantes dos trabalhadores para atuar, também, em nível Federal.

“Precisamos esclarecer para a classe trabalhadora a gravidade da retirada de direitos. Explicar o que significou a reforma trabalhista, que veio embrulhada em um discurso bonito de gerar emprego e o que significou a lei das terceirizações sem limites. O trabalhador está sentindo na pele as consequências da reforma da previdência. A pessoa mais indicada, que já sai com compromisso de votar contra projetos que tirem direitos trabalhistas é o Barranco”, explicou.

O evento contou com a participação de representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep-MT), da Central Única dos Trabalhadores (CUT), do Movimento Sem Terra (MST-MT), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), além de militantes de movimentos sociais que representam as mulheres, negros, estudantes e LGBTQI+.

O ex-deputado federal Carlos Abicalil abriu o ato e ressaltou que a posse de um deputado estadual negro na AL-MT é histórica. “É um lutador do povo, negro, ex-garimpeiro, explorado pelo trabalho similar ao escravo, transformado em educaro, ex-presidente do Sintep-MT, presidente da CUT-MT. Essa data carrega uma simbologia muito forte para todos nós. Para educadores, ativistas do movimento popular e social, para tantos homens e tantas mulheres, conhecidos e anônimos, que viveram ou que ainda vivem condições desumanas”.

O coordenador geral do escritório regional da IEAL (Internacional da Educação para América Latina), Combertty Rodriguez, comemorou a posse de um professor no Parlamento. “Estamos vivendo um momento em que a educação pública é atacada por privatizações, por isso, precisamos de pessoas como o Henrique, que dão garantia de defesa pela educação pública com qualidade”.

O deputado estadual Lúdio Cabral, exaltou a trajetória de Henrique como dirigente sindical e militante pelos trabalhadores. “Henrique já esteve em muitas lutas na condição de militante, de dirigente sindical para brigar pelos direitos da nossa população, pelos servidores públicos e pela educação pública de qualidade”.

Trajetória de luta pela Educação

O sindicalista ainda relembrou algumas das conquistas do Sintep-MT para os trabalhadores da Educação, onde começou a atuar como militante e diretor em 1990, fazendo conquistas importantes para a categoria, que reverberam até os dias atuais.  “Aprovamos uma emenda na Constituição, a Emenda Constitucional Nº 12, que instituiu a carreira pública dos trabalhadores da Educação, trazendo, inclusive, os profissionais para dentro do plano de carreira e jornada única de 30 horas semanais”.

Henrique classificou o ano de 1998 como de “luta intensa”, que resultou em três leis (Lei complementar Nº 49/1998, Nº 50/1998 e Lei 7.040/1998) para os profissionais da Educação. Entre elas, a Lei 7.040/1998, que regulamentou a Gestão Democrática da Educação em Mato Grosso e que, atualmente, o professor lamentou que esteja sendo ameaçada pelo Estado, que proibiu eleições de diretores nas unidades escolares.

“A Gestão Democrática está sendo caçada de forma vergonhosa pelo Estado através da Portaria 454/2020. O Governo que temos em Mato Grosso não só replica o que é pensado em âmbito Federal como, também, busca antecipar algumas coisas. Foi assim com a extinção de empresas públicas, com a reforma da previdência e com o congelamento das carreiras. É preciso que os trabalhadores estejam unidos”.

Fonte | Assessoria

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *