Uma criança indígena de 9 anos teve paralisia nos músculos do rosto após ser picada por uma cobra cascavel, nessa quarta-feira (16), em uma aldeia em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá.

Lewy Nieiezonoizokae é da etnia Parecis e foi picado na perna direita. Logo em seguida, teve quebra da pálpebra e sonolência.

O menino foi encaminhado para o hospital de Tangará da Serra, onde foram aplicadas 10 ampolas de soro e depois foi transferido para Cuiabá, nesta quinta-feira (17).

O caso, segundo o médico coordenador do Centro Antiveneno de Mato Grosso (Ciave), José Antônio de Figueiredo, é considerado moderado e o quadro de Lewy é estável. Ele está na observação na enfermaria, sendo hidratado e tomando antibióticos.

Ainda não há previsão de alta.

O médico explicou que o efeito do veneno da cascavel é neurotóxico e pode causar manifestações renais. Segundo José Antônio, apesar de mais raro, o veneno da cascavel pode ser fatal.

“O veneno da cascavel é mais letal. Se não tratados de forma adequada e a tempo, o quadro evolui para problemas renais e o paciente pode ir a óbito”, diz.

A maioria dos casos registrados no estado são de acidentes com jararaca, chegando a mais de 90%.

O caso mais recente que foi atendido no Hospital Municipal de Cuiabá é da médica Dieynne Saugo e do trabalhador rural Giovani Lima Corrêa, de 29 anos.

Os casos de acidentes com cascavel, segundo o médico, é de apenas 8%.

Fonte | G1

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *