A parceria lançou entre outras novidades a bag delivery, serviço de entrega de roupas na casa do cliente

O programa de capacitação para micro e pequenos negócios varejistas de moda realizado pelo Sebrae, em parceria com a Malwee, tem rendido excelentes resultados. O projeto é voltado para o encadeamento produtivo, focado na capacitação e qualificação dos comerciantes de roupas. Trinta e duas empresas são atendidas em três estados: Espírito Santo, Santa Catarina e Paraná. Neste período de retomada dos negócios, em razão da pandemia do Coronavírus, as empresas que passaram pela consultoria apresentam práticas inovadoras que têm impactado positivamente as vendas.

A proprietária da Estação Malwee, Camila Herrero, utilizou da consultoria e decidiu lançar um novo estilo de vendas para seus clientes: a bag delivery. “Selecionamos vários looks, de acordo com as preferências do cliente, higienizamos as peças, embalamos, colocamos lacinhos para identificar cada um dos conjuntos, escrevemos cartinhas explicando as combinações e quais foram os cuidados tomados com o preparo do kit. Essas roupas são colocadas em uma mala e enviadas para a casa do cliente. Ele tem 24h para dar um retorno. O resultado tem sido sensacional, as pessoas se sentem presenteadas, aumenta muito a conexão com o nosso público. Sem falar que publicamos isso nas redes sociais e muitos outros clientes em potencial entram em contato para receber a bag delivery”, comemora.

A empreendedora acredita que independentemente do tamanho da loja, essa é uma tendência que veio para ficar, além de ser facilmente aplicável. “A crise do coronavírus nos colocou em um novo modelo de funcionamento, mesmo com a loja aberta, ainda temos os clientes que estão receosos em sair de casa por vários motivos. Por isso, temos que nos adaptar e oferecer diversidade para o consumidor. Acredito que esse serviço pode ser implantado em qualquer loja de roupas, independente do tamanho. Sem dúvidas vale a pena o investimento”, indica.

Risonette Carretta é outra integrante do projeto que também aditou a bag delivery há pouco tempo em sua loja, a Dandi Kids. De acordo com a empresária de Santa Teresa (ES), os resultados são surpreendentes. “Acredito que nós acertamos muito ao enviar os looks para a casa do cliente. Como a minha cidade é pequena, eu já conheço o estilo de muitos deles, isso facilitou. O retorno tem sido muito positivo, nós enviamos a bag com todo cuidado. Quando é para crianças colocamos um pirulito, quando é para um casal enviamos chocolates. Consegui potencializar as vendas e estou empolgada para continuar”, afirmou Risonette.

De acordo com a analista de competitividade do Sebrae, Anny Santos, diante da pandemia, os trabalhos foram focados em ofertar conforto e segurança para os consumidores. “Os negócios precisam se adaptar ao ‘novo normal’, o coronavírus transformou toda a dinâmica de consumo. Observando isso os varejistas de moda precisam adaptar seu negócio de acordo com o comportamento do seu cliente. O foco sempre deve ser nas necessidades do consumidor. A partir do momento que você consegue entregar essas soluções, o aumento do faturamento é natural”, afirma.

Fonte | Assessoria Sebrae

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *