Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (20) a Operação Padrino, com o objetivo de combater fraudes a licitações e desvio de recursos públicos na administração de Araputanga (345 km ao Oeste de Cuiabá). Ao todo, 7 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos na Prefeitura de Araputanga e na casa de pessoas investigadas. Em um dos locais, a polícia apreendeu R$ 50 mil em dinheiro e jóias.

De acordo com as informações preliminares da PF, as ordens judiciais foram expedidas pela 1º Vara Federal de Cáceres com base na denúncia da promotoria de Araputanga. A ação desta quinta busca provas relacionadas aos crimes cometidos, “além de apurar a participação de servidores públicos, contratados e empresários no esquema criminoso”, informou a PF.

Investigações tomaram corpo quando a empresa de um servidor público foi subcontratada de forma ilegal – por meio de pessoa jurídica vencedora de licitação. O caso evidencializou o direcionamento e o favorecimento de pessoas envolvidas na gestão, “além de demonstrar vínculos de intimidade entre os sócios das empresas vencedoras e os agentes públicos”.

Emissões de notas fiscais frias pelas pessoas jurídicas e a inexecução dos serviços também estão sendo apuradas.

Nome da operação é uma referência à palavra italiana “Padrino”, que em português significa “Padrinho“. uma alusão ao fato de o principal investigado apadrinhar seus conhecidos em cargos-chave na prefeitura. A prática facilitava os delitos, beneficiando apadrinhados e terceiros em prejuízo de toda a comunidade.

Fonte | Gazeta Digital

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *