O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) publicou nesta quinta-feira (06) um adendo ao edital para credenciamento de profissionais e pessoas jurídicas interessados em prestar serviços de perícia, estudos, pareceres técnicos, coleta e exames. Foram incluídos no documento o profissional de sociologia entre as áreas habilitadas, bem como o item 3.18, referente ao tópico “Do prazo, do local, do chamamento e das condições da prestação do serviço”. Com a alteração, passam para 16 as áreas profissionais habilitadas ao credenciamento.

As áreas contempladas são contabilidade, engenharia civil, arquitetura e urbanismo, engenharia elétrica, laboratório de análise físico-química e microbiológica, medicina, farmácia, engenharia florestal, agronomia ou engenharia agronômica, geografia, biologia, engenharia ambiental, odontologia, tecnologia da informação e agora sociologia. O credenciamento teve início em junho deste ano, com a publicação do Edital nº 047/2020 pelo Departamento de Aquisições (DAQ) do MPMT. O prazo de vigência é de 36 meses.

O objetivo do banco de peritos é agilizar a execução de vistorias e análises técnicas em procedimentos investigatórios e administrativos em trâmite na Procuradoria-Geral de Justiça ou que sejam requisitados aos Centros de Apoio Operacional (CAOs) do MPMT. O credenciamento desses profissionais permitirá a realização de perícias em demandas complexas, que exigem apoio especializado, possibilitando uma atuação mais contundente MPMT e consequentemente uma resposta mais ágil e eficaz à sociedade.

Os valores dos honorários são definidos de acordo com a complexidade do trabalho técnico e variam de R$ 711,00 a R$ 2.400,00. Para os profissionais de sociologia, o valor é R$ 2.024,72. O trabalho técnico a ser desenvolvido inclui a emissão de relatórios ou realização de pesquisas (de campo e teóricas) voltadas a estudos sobre a organização em sociedade (hábitos, costumes e relações) e os fenômenos sociais (nos campos da cultura, artes, religião, ciência, economia, entre outros), elaboração de diagnósticos para subsidiar ações práticas do MPMT e contribuição para o desenvolvimento do planejamento estratégico da instituição.

O coordenador-geral dos Centros de Apoio Operacional, promotor de Justiça José Mariano de Almeida Neto, conta que dezenas de pessoas físicas e jurídicas já foram credenciadas ou estão em fase de assinatura do termo de acordo junto ao DAQ. “São profissionais como médicos, farmacêuticos, odontólogos, psicólogos, engenheiros (ambientais, agrônomos, civis, eletricistas e florestais), arquitetos e de tecnologia da informação que já estão aptos a prestar seus serviços ao MPMT e auxiliar os promotores de Justiça nas suas atividades funcionais em todo o estado. Muitos dos quais não tínhamos em nosso quadro”, pontuou, destacando o avanço da iniciativa para a instituição.

Saiba mais sobre o edital e os anexos necessários para inscrição aqui.

Fonte | MPMT

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *