A ‘Operação O2’ acontece em quatro estados e estão sendo cumpridos 35 mandados de busca e apreensão. A investigação apura o processo de dispensa de licitação para aquisição emergencial de 200 respiradores pulmonares.

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de Mato Grosso cumpriu mandados de busca e apreensão neste sábado (9) em Cuiabá durante a ‘Operação O2’ que investiga irregularidades em processo de dispensa de licitação para aquisição emergencial de 200 ventiladores pulmonares para serem usados no enfrentamento da Covid-19. Os equipamentos tiveram um custo de R$ 33 milhões, pagos de forma antecipada, sem a exigência de qualquer garantia e sem as mínimas cautelas quanto a verificação da idoneidade e da capacidade da empresa vendedora.

As investigações, até o momento, identificaram fraude no processo de aquisição dos respiradores, mediante um sofisticado esquema criminoso que envolveu a corrupção de agentes públicos, falsidade ideológica em documentos oficiais, criação de empresas de fachada administradas por interpostas pessoas e lavagem de dinheiro.

A operação é uma força-tarefa do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Polícia Civil. Segundo a coordenação do Gaeco, um mandado de busca apreensão foi cumprido em Cuiabá. Não foram divulgadas informações sobre o alvo.

A operação acontece em quatro estados da federação e estão sendo cumpridos 35 mandados de busca e apreensão e sequestro de bens.

Mais detalhes da investigação permanecem sob sigilo.

Fonte | G1   Foto | Reprodução Jornal Nacional

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *