Uma forma de amparar os colaboradores das empresas é usar as tecnologias que estão à disposição do trabalho remoto para interagir

O trabalho remoto se tornou uma realidade para muitos trabalhadores depois do início da pandemia provocada pelo Covid-19. No entanto, muita gente encontrou dificuldades em conciliar o trabalho com as atividades domésticas e lidar com as várias sensações provocadas pelo isolamento social.

É importante que as empresas, ao perceberem seus colaboradores com algum grau de estresse e ansiedade, possam oferecer algum amparo emocional. A coordenadora da área de Recursos Humanos da Agenda Assessoria, Geisa Duarte, analisa que a situação de isolamento social é estressante, pois provoca uma mudança brusca nos hábitos, há restrições de vários níveis na vida social, pode haver prejuízo financeiro, dentre outras questões que podem provocar a ansiedade.

Uma forma de amparar os colaboradores das empresas é usar as tecnologias que estão à disposição do trabalho remoto para interagir. “A Agenda Assessoria, por exemplo, iniciou o projeto das lives com os colaboradores para motivar a equipe que está trabalhando em regime home office, e vem apresentando um certo desgaste emocional bastante considerável, pelo fato de ter que estar executando as atividades em casa”, explica.

Os InteliLIVE são momentos de interação social remota com fins motivacionais, para dar suporte aos colaboradores em regime de trabalho remoto para lidar com o estresse e a ansiedade, comuns em situações extremas como está ocorrendo agora. “Conforme o tema trabalhado, nós elaboramos a ferramenta a ser utilizada, por exemplo, usamos desde vídeos motivacionais, músicas, dinâmicas interativas, textos reflexivos, dentre outros. É importante ter um mediador para interagir com os colaboradores, fazer a escuta de como está a dinâmica de trabalho em casa, enfim, estimular atividades que possam ajudar o colaborador a manter ou a reestruturar o equilíbrio emocional”, explica Geisa Duarte.

A especialista afirma que o projeto InteliLIVE atinge todos os colaboradores da empresa e são momentos de 20 a 30 minutos, que podem se prolongar dependendo da interação e do debate com os colaboradores. “É importante o trabalhador estabelecer uma rotina de trabalho, alimentação, atividades físicas e de lazer. Administrar o estresse no home office tem muito a ver com a capacidade organizacional. É preciso impor limites, estabelecer os horários das pausas do trabalho. Ter um espaço para o trabalho é essencial, evitar levar trabalho para a cama ou para a mesa do café. O lazer em casa e o contato com os amigos e familiares faz a diferença para o alívio do estresse e da ansiedade. Então, abuse das chamadas de vídeo”, finaliza.

Home office em tempos normais

Geisa Duarte

Há vários anos, o modelo home office é permitido ou até mesmo estimulado por muitas empresas de todas as partes do mundo. Isso porque, dependendo da atividade exercida, pode trazer ganhos em produtividade para as empresas. O colaborador economiza o tempo e o custo do transporte da casa até a empresa, pode flexibilizar o horário de trabalho e assim ter um ganho em qualidade de vida. No entanto, é preciso disciplina e força de vontade para separar o trabalho da rotina familiar.

As vantagens se estendem às empresas, que podem contar com funcionários mais motivados além de precisar de menos espaços e outros gastos como energia e água, representando uma boa economia.

Ganha também o meio ambiente, pois como está sendo percebido nas grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, a menor circulação de carros contribuiu com a queda da concentração de gás carbônico na atmosfera.

Fonte e Foto | Assessoria

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *