Vítimas de um golpe. É assim que o prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), e a secretária de Saúde, Izalba Albuquerque, definem a compra de 22 respiradores pulmonares (adulto, pediátrico e neonatal) falsificados.

O prefeito Zé Carlos do Pátio disse que a prefeitura foi vítima de um golpe na compra.

Pátio disse estar constrangido e também indignado com aproveitadores que se valeram de uma calamidade para aplicar o golpe. Para a secretária de saúde, “fica o ensinamento a outros secretários para que estejam também atentos, todos nós podemos errar e ser vítimas, mas é preciso aprender”

Izalba em entrevista coletiva, na tarde de sexta (24) afirmou que comprou com dispensa de licitação, com base no que o decreto de emergência permite e o valor foi pago somente após o fiscal do contrato atestar o recebimento.

Apesar da legislação permitir esse tipo de compra com dispensa de licitação, o procedimento recomendado pelo Tribunal de Contas é que a compra ocorra a partir de uma cesta de preços viáveis, o que não foi realizado sob alegação do decreto de emergência. Contudo, a compra não era emergencial e sim preventiva, já que os respeitadores e leitos do município não estão totalmente preenchidos e a gestão estava buscando se preparar para conter a crise de saúde.

De acordo com a secretária, o fornecedor foi indicado por empresa de confiança e após confirmar a compra do lote, um servidor da Prefeitura, fiscal do contrato, foi até Goiânia (GO) conferir os equipamentos e autorizou o pagamento à empresa somente depois que os respiradores estavam carregados no caminhão da Prefeitura.

Ao chegar em Rondonópolis, foram descarregados os respiradores que, a pedido do vendedor, deveriam ficar guardados até dia 4 de maio quando enviaria uma equipe para montar e instalar os equipamentos, sob o risco de abrir as caixas antes e perder a garantia. Mas uma servidora percebeu que as caixas eram muito leves e ao conferir, viu a fraude.

Izalba conta que procurou a polícia imediatamente e foram tomadas as medidas necessárias. Ela acredita que a agilidade tanto da equipe de saúde do município quanto da Polícia Civil, foi responsável por conseguir reaver a maior parte do recurso. A Prefeitura está buscando outro fornecedor para compra dos respiradores que serão usados em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Fonte | Redação com RDNews

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *