O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), baixou 1 decreto nesta 4ª feira (22.abr.2020) para recomendar às prefeituras do Estado que não adotem medidas de isolamento social para conter o avanço da covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. O Estado tinha, até a tarde desta 4ª (22.abr), o total de 205 casos confirmados da doença, com 6 mortes.

O decreto recomenda quarentena apenas às pessoas do grupo de maior risco para a doença e permite que atividades não essenciais voltem a funcionar, desde que cumpridas algumas regras, como a disponibilização de locais para a lavagem das mãos e também álcool. O decreto também orienta que seja controlado o acesso a estabelecimentos públicos e privados para evitar aglomerações. O cumprimento das orientações deve ser fiscalizado pela Polícia Militar, pelo Procon e por autoridades sanitárias.

Em áudio enviado aos prefeitos, Mauro Mendes justifica a medida mencionando que o Estado disponibilizou 104 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e mais 403 leitos clínicos exclusivamente para pacientes com covid-19. Desse total de 507 leitos, no entanto, apenas 4 estavam ocupados até esta 4ª feira (22.abr).

A taxa de ocupação desses leitos é de 2,88% nas vagas na UTI e de 0,7% nas vagas exclusivas em enfermarias, de acordo com o informe mais recente da Secretaria Estadual de Saúde, divulgado nesta 4ª feira (22.abr). Eis a íntegra (1 MB).

Estamos reconhecendo a autoridade que cada prefeito e cada prefeita tem, mas estamos recomendando que enquanto não tivermos 60% de ocupação dessa rede pública, que não se adote medidas de restrições a atividades econômicas a atividades econômicas“, disse o governador aos prefeitos.

O decreto determina que qualquer medida restritiva a ser mantida ou imposta pelas prefeituras “deverá ser fundamentada em nota técnica da autoridade sanitária local, respaldada em avaliação de risco epidemiológico diário das ameaças e vulnerabilidades locais“.

A medida também autoriza o funcionamento de igrejas e centros religiosos, desde que se respeite o distanciamento mínimo de 1 metro e meio entre as pessoas. Parques também poderão voltar a funcionar, também com a obrigação de que haja distância entre os visitantes.

Também foi estabelecida no Estado lei que torna obrigatório o uso de máscaras ao sair de casa, sob pena de multa de R$ 80 (a ser convertida em cesta básica) para o caso de descumprimento.

O governador do Mato Grosso afirmou que, caso não haja grande crescimento no número de casos confirmados de covid-19 no Estado, as aulas das redes pública e privada, em todos os níveis, poderão ser retomadas no início do mês que vem.

Se até o dia 30 nós não estivermos com esses 60% [de leitos ocupados], a partir do dia 4 de maio nós queremos voltar com as aulas em todo o Estado do Mato Grosso”, disse Mauro Mendes.

Fonte | Poder 360

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *