Com o objetivo de diminuir a aglomeração de pessoas dentro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em virtude da pandemia de coronavírus, a partir desta quarta-feira (15), a UPA adota novo formato de atendimento na recepção. Assim, a quantidade de cadeiras foi reduzida e o piso demarcado com o espaço necessário para manter a distância entre as pessoas de forma a diminuir o risco de contágio, conforme preconizam as autoridades da saúde.

“Implantamos essa mudança em uma das recepções ontem à tarde e foi aceita pelas pessoas, a grande maioria absorveu bem. Nosso objetivo é cumprir as normas e ajudar a população, por isso pedimos para todos colaborarem. Afinal, se cada um fizer a sua parte, evitando uma grande concentração de gente no mesmo recinto, isso vai repercutir em toda a coletividade, promovendo a diminuição da contaminação”, ressalta a diretora da Unidade, Vânia Scapini. Esses ajustes, segundo ela, também vão acontecer nos Setores de Pediatria e de Traumatologia.

Além do novo arranjo na disposição do ambiente, Vânia comenta que a UPA vai restringir a entrada de acompanhantes nos casos desnecessários. “Nosso problema está sendo o acúmulo de pessoas na recepção. Por isso, um porteiro vai controlar o acesso, permitindo somente o ingresso dos acompanhantes daqueles que realmente precisam, como idosos e crianças, por exemplo”, observa a diretora.

Uma equipe composta por médicos, profissionais de higienização, enfermeiros, entre outros servidores, está disponível para cuidar dos pacientes que precisam de atenção e cuidados rápidos. “Esse grupo vem trabalhando incansavelmente na busca de soluções. E nosso foco principal agora é a Covid-19. Mas, continuamos atendendo todas as emergências, além de doenças crônicas e vítimas de acidentes de trânsito, pois essas enfermidades continuam acontecendo”, lembra Vânia, frisando que, justamente por isso, é importante que o indivíduo só procure a UPA nos casos graves e emergenciais. “Os casos leves devem se dirigir a uma Unidade Básica de Saúde”, orienta.

Atualmente, de acordo com a diretora, os pacientes suspeitos de Covid, quando são classificados, já recebem o EPI para, então, serem encaminhados para exames de imagem, diagnóstico, coleta de material e atendimento pelo infectologista. “Verificamos os casos graves e moderados para podermos definir se os cuidados devem ser em UTI, isolamento ou quarentena. Estamos conseguindo manter um fluxo controlado porque respeitamos todo o protocolo de saúde”, avalia Vânia.

Toda essa modificação no acolhimento, conforme a diretora, visa garantir que o paciente que precisa da UPA tenha leito, profissional disponível, tranquilidade e rapidez no atendimento da recepção.

Vânia reitera a solicitação para que a população seja criteriosa ao procurar a Unidade: “Nós somos os portadores do vírus, ele está nas pessoas. Então, o isolamento feito até agora foi importante porque retardou bastante sua disseminação. Mas, se relaxarmos, o contágio vai acontecer de forma rápida. Por isso, precisamos nos empenhar e ter paciência para manter o distanciamento e o isolamento. Só ir à UPA se necessário. Estamos fazendo tudo conforme a Organização Mundial da Saúde e todos os outros órgãos recomendam. Pedimos a compreensão da população para não colocarmos o esforço feito até agora a perder”.

Fonte | Assessoria   Foto | Cleomar Pilar

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *