Cristiano Zanin, que coordena a defesa de Lula , desembarca amanhã em Curitiba no primeiro voo chegando de São Paulo.

Zanin irá perguntar a Lula se ele deseja que a defesa apresente um pedido de soltura.

Caso Lula concorde, o pedido será apresentado imediatamente.

No entorno de Lula, aposta-se que o ex-presidente concordará. Lula chegou a ir ao STF alegando que não poderia ser preso antes da condenação definitiva.

Já sobre o regime semiaberto, Lula foi contra por considerar que só deveria sair da prisão inocentado.

Segundo Zanin, a juíza Carolina Lebbos é obrigada a seguir o entendimento do STF:

“O juiz da execução pode apenas fazer a análise do ‘enquadramento’ da tese jurídica fixada pelo STF ao caso concreto. Não tem liberdade para divergir do STF. A decisão é vinculante”.

Fonte | Revista Época

 

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *