Samuel Victor da Silva Gomes Carvalho, de 6 anos, está desaparecido há duas semanas em Rondonópolis. Parentes e amigos da família e a polícia continuam mobilizados e fazendo buscas à procura do garoto. A Polícia Civil está tentando refazer trajetos que a criança poderia ter feito após sair de casa.

A Polícia Civil deve continuar investigando o sumiço do garoto. Na última operação realizada na sexta-feira (1°), dois cães farejadores foram usados para ajudar nas buscas por Samuel está desaparecido desde o dia 20 de outubro.

Os cães, Hórus e Zafira devem continuar participando nas buscas que ainda serão realizadas para tentar achar o garoto. Os animais já foram usados para localizar dois desaparecimentos que aconteceram no estado, segundo a Polícia Civil.

As buscas já foram feitas em regiões de mata e rio, mas ainda não há pistas sobre o desaparecimento dele. Samuel estava na casa da avó, quando pulou o portão da residência e desapareceu, segundo a família.

Há uma semana do desaparecimento, no dia 27 de outubro, parentes e amigos da família realizaram um ato em vários bairros de Rondonópolis para tentar encontrá-lo. Os amigos e familiares fizeram cartazes com mensagens, fotos e pedidos de ajuda.

No dia 25 de outubro foi realizada uma força-tarefa. Na operação foram feitas varreduras às margens do Rio Arareau para tentar localizar Samuel. Militares do Corpo de Bombeiros, policiais militares e civis participaram das buscas na região da Ponte do Jardim Primavera.

Um pedido para os governantes do município foi solicitado no dia 23 de outubro. Parentes e amigos da família e moradores da cidade foram à Câmara dos Vereadores para pedir apoio e ajuda nas investigações. Lucineide fez um discurso no plenário.

Na Câmara, os vereadores assinaram um documento solicitando reforço nas investigações e enviaram à Secretaria Estadual de Segurança, à Polícia Civil e ao Comando Geral da Polícia Militar.

Investigação

Além da operação, a Polícia Civil está analisando imagens das câmeras de segurança de comércios do Bairro Jardim Iguassu que foram recolhidas pelos investigadores.

A delegada responsável pelo caso, Karla Cristina Peixoto Ferraz, explicou que o objetivo é tentar refazer a rota por onde possivelmente o menino teria passado.

“Visitamos vários locais por onde ele possa ter passado para saber se alguém o viu andando pela região. Continuamos com as investigações e só vamos parar quando encontrarmos”, disse.

A polícia informou que ainda não há informações sobre o desaparecimento do menino e, por isso, não descarta nenhuma linha de investigação.

Fonte | Folhamax

Powered by Rock Convert
(Visited 1 times, 6 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *