Magistrado registrou um boletim de ocorrência e suspeito foi preso nessa quinta-feira (9).

O juiz Marcos Faleiros da Silva, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, registrou um boletim de ocorrência nessa quinta-feira (9) contra o marido de uma presidiária por ameaça. Na denúncia, o magistrado diz que o suspeito o ameaçou para que soltasse a mulher dele, presa durante a Operação Red Money, na quarta-feira (8).

O suspeito das ameaças foi identificado como Rafael Camargo. Ele usava tornozeleira eletrônica, tinha passagens por tráfico de drogas, e foi preso em flagrante nessa quinta-feira quando acompanhava a audiência da mulher dele, Keyla Regina Balduino, no Fórum de Cuiabá.

A mulher dele está presa na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

No boletim de ocorrência, o magistrado disse que na manhã de terça-feira (8) recebeu uma ligação pelo WhatsApp de um homem que perguntou se ele era o juiz Marcos Faleiros que havia mandado prender a mulher dele e que ele falava de dentro do presídio.

O juiz disse ter questionado quem havia passado o número de telefone dele e o homem disse que tinha sido uma advogada, mas que não falaria o nome dela.

Demonstrando nervosismo e agressividade, o homem disse que, além de preso uma mulher, a polícia teria pego uma quantia em dinheiro na casa deles e uma arma de fogo. O homem ainda afirmou que o casal tem filhos e que as crianças precisam dos cuidados da mãe.

“Novamente, disse que poderia ver o que estava ocorrendo instante em que o homem disse o seguinte: ‘resolva essa situação com seu irmão aí, o juiz, se não o trem vai ficar feio para o lado de vocês'”, diz o relato do juiz, no boletim de ocorrência.

A Operação

A operação Red Money foi realizada pela Polícia Judiciária Civil com o objetivo de desestruturar a base financeira da principal facção criminosa de Mato Grosso, cujas lideranças estão presas na Penitenciária Central do Estado.

Foram decretados 94 mandados de prisão, sendo que 30 alvos já estavam presos, além de 59 mandados de busca e apreensão e 80 ordens judiciais de bloqueio de contas correntes, e outras medidas cautelares de sequestro de bens e valores (uma fazenda no município de Salto do Céu, duas casas e um terreno em Cuiabá, dois caminhões e cinco automóveis), interdição de duas empresas.

As ordens foram deferidas pelo juiz de direito, Marcos Faleiros da Silva, da 7ª Vara Criminal – Vara Especializada do Crime Organizado.

Fonte | G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *