Francisco Lúcio Maia voltava para casa com um carrinho de verdura quando foi atropelado. Letícia Bortolini foi detida com sinais de embriaguez e teve a liberdade concedida pela Justiça. 

Um vídeo de câmeras de segurança registrou o momento em que a médica Letícia Bortoloni, de 37 anos, atropela e mata o vendedor ambulante Francisco Lúcio Maia, de 48 anos. O acidente ocorreu no sábado (14) na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá. A defesa dela não quis se manifestar até o momento.

A gravação não tem imagens nítidas, mas é possível ver o carro da médica, um Jeep Compass de cor branca, atingindo o vendedor ambulante. O automóvel da médica aparece na imagem da esquerda para a direita, aos quatro segundos do vídeo.

Francisco é arremessado e o corpo atinge uma árvore, quase no centro do vídeo. Letícia não freou o veículo e não prestou socorro ao pedestre. A Polícia Militar, ao detê-la, disse que ela tinha sinais de embriaguez.

Letícia foi presa em flagrante no mesmo dia com sinais de embriaguez, segundo a polícia. Ela passou por audiência de custódia e teve a prisão convertida em preventiva.

Médica dirigia um carro SUV, um Jeep Compass (Foto: Divulgação)

Médica dirigia um carro SUV, um Jeep Compass (Foto: Divulgação)

Na segunda-feira (16), entretanto, a Justiça concedeu liberdade para a médica. A decisão atende a um pedido da defesa dela feito sob a alegação de que os filhos de Letícia precisam do cuidado da mãe.

O marido da médica, que também é médico, Aritony Alencar, prestou depoimento na terça-feira (17). Ao deixar a delegacia, foi hostilizado pela família da vítima.

Quatro pessoas já foram ouvidas. Outras testemunhas também deve prestar o depoimento.

Francisco Lúcio Maia, de 48 anos, morreu na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá (Foto: Arquivo pessoal)

Francisco Lúcio Maia, de 48 anos, morreu na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá (Foto: Arquivo pessoal)

Em depoimento à polícia, uma testemunha que presenciou o atropelamento contou que Letícia Bortoloni, de 37 anos, a médica que conduzia o veículo estava em alta velocidade e fazia zigue-zague nas curvas.

Segundo a polícia, ao final do inquérito as cópias dos autos serão encaminhadas ao Conselho Regional de Medicina (CRM-MT) para que a instituição avalie a postura ética dos dois.

O acidente

O casal fugiu do local ao atropelar Francisco, que terminava de atravessar a avenida e tentava subir com o carrinho no canteiro. Francisco voltava para casa quando foi atropelado.

Uma testemunha viu a cena e seguiu o carro da médica, que entrou em um condomínio no Bairro Jardim Itália, em Cuiabá.

A filha da vítima, Francenilda da Silva, diz que espera justiça. “Meu pai era um homem de bem. A morte dele é muito dolorida. Ele merece ser reconhecido e que as leis sejam aplicadas de forma correta”, afirmou.

Letícia é proprietária de uma clínica particular, no Bairro Bosque da Saúde, e atua como dermatologista.

Fonte | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta