Juiz Paulo Soares Brescovici, da 3ª Vara do Trabalho de Cuiabá, disse que houve dúvidas em relação feito por advogado de uma das partes e quis simplificar.

O juiz Paulo Soares Brescovici, da 3ª Vara do Trabalho de Cuiabá, deixou a formalidade de lado e, em uma decisão dada no dia 14 deste mês, se manifestou de forma inusitada ao solicitar explicações a um advogado sobre um pedido feito à Justiça. “Li, reli. Não entendi”, conclui.

O magistrado declarou que a intenção era simplificar e que não esperava que o assunto gerasse tanta repercussão.

“Foi uma coisa simples, poderia ter dito em outras palavras, mas quis ser objetivo, e isso gerou repercussão”, disse.

Ele deu o prazo de cinco dias para que o advogado detalhasse o pedido, pois a defesa de uma das partes envolvidas no processo não teria deixado clara a intenção e não quis tomar qualquer decisão com base em dedução.

Para ele, restaram duas dúvidas. A primeira: o advogado pretendia acompanhar uma perícia em um processo que tramita na Vara ou queria que outra pessoa a acompanhasse? A segunda: ele ou a parte a qual ele defende estava sendo impedida de acompanhar a perícia?

“Para essa modalidade de perícia nao há necessidade de autorização judicial, exceto se tiver sendo impedido de acompanhar a perícia e esse ponto, se ele tinha sido impedido ou não de acompanhar, não ficou claro. Não entendi o alcance e a finalidade do pedido”, afirmou.

Fonte | G1

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta