Mais de 300 pessoas deixaram de receber medicações de alto custo do Estado. Segundo o MPE, pessoas podem ter morrido devido interrupção do tratamento.

Todos os medicamentos são de alto custo e há pacientes que estão há um ano sem receber os remédios. Ainda segundo o MPE, a Diretoria de Assistência Farmacêutica afirmou que alguns dos pacientes podem ter morrido por causa da falta dos medicamentos.

O problema fez o Ministério Público entrar na Justiça contra o Estado pedindo que o fornecimento seja regularizado em regime de urgência. Estão em falta medicações utilizadas no tratamento de câncer, doença de Parkinson, insuficiência pancreática, fibrose cística, malária e glaucoma.

Ao Ministério Público, a secretaria afirmou ter encontrado problemas em licitações para a compra dos medicamentos. Porém, ao ser questionada pelo sobre o problema, a Sesau disse apenas que ainda não foi notificada sobre a ação.

Fonte | G1


(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta