O vereador Orestes Miráglia (SD), durante a sessão da Câmara Municipal de Rondonópolis de ontem, sugeriu uma auditoria nas contas da Santa Casa de Misericórdia e Maternidade de Rondonópolis, para esclarecer a população acerca de uma grave denúncia anônima enviada ao Ministério Público Estadual contra médicos e diretores do hospital. A mesma denúncia também chegou ao gabinete do governador Pedro Taques (PSDB).

De acordo com o vereador, o que é mais preocupante é que a denúncia aponta o nome de um dirigente do Rotary Clube, “numa denúncia vazia e sem provas”. Sendo assim sugeriu a auditoria como forma de comprovar a idoneidade do representante do Rotary e toda a administração da Santa Casa.

A denúncia não tem identificação alguma, mas coloca dúvida na conduta de médicos e diretores. Segundo a denúncia, a Santa Casa precisa passar por uma auditoria, uma vez que, quem está à frente do hospital “são espertos em maquiar a prestação de contas”.

“esta denúncia preocupou os representantes do Rotary Club de Rondonópolis. Disseram que há irregularidades, mas não apontaram onde, ou o caminho destas irregularidades para até nós vereadores também investigarmos. É uma denúncia genérica e sem substratos de provas. Mas uma auditoria poderá comprovar a idoneidade daqueles que administram a Santa Casa”, justifica o vereador.

Já o médico e vereador Hélio Pichioni (PSB) repassou que a Santa Casa já presta contas ao para o Ministério Público e Conselho Municipal de Saúde. “Esta já é a terceira denúncia com o mesmo teor. No entanto, vamos novamente abrir as contas da Santa Casa para a sociedade. A prestação de contas do hospital está regular e a Justiça também poderá requisitar todas as informações e perceberá a idoneidade da administração do hospital”, disse Hélio Pichioni.

 

Fonte | Jornal A Tribuna

Foto | Reprodução

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *