Protesto foi realizado nesta quarta-feira (22) em Rondonópolis. Segundo os servidores, a dívida da prefeitura chega a aproximadamente R$ 5 milhões.

Com quatro salários atrasados, motoristas terceirizados da prefeitura de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, pararam os caminhões em frente a casa do prefeito José Carlos do Pátio (SD), nesta quarta-feira (22). Os trabalhadores formam a Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder).

Ao todo, cerca de 40 prestadores de serviço cruzaram os braços e paralisaram as atividades. Segundo os servidores, a dívida da prefeitura com a companhia chega a aproximadamente R$ 5 milhões.

“Ficou combinado que receberíamos em agosto. Recebemos um mês, mas já tínhamos três meses vencidos, agora venceu o quarto e estamos sem pagamento”, afirmou um dos motoristas, José Barreto de Lima.

Segundo os trabalhadores, o protesto só deve ser encerrado após o pagamento (Foto: TVCA/Reprodução)
Segundo os trabalhadores, o protesto só deve ser encerrado após o pagamento (Foto: TVCA/Reprodução)

O prefeito saiu e foi conversar com os motoristas. “Reconheço que sacrifiquei a empresa. Tinha dois caminhos. Ou mantinha as certidões em dias ou fechava a empresa. Optei pela primeira e mantive a empresa”, afirmou Zé Carlos do Pátio.

Com o protesto, os serviços de limpeza das ruas e operações para revitalização do asfalto em Rondonópolis foram paralisadas. O protesto só deve ser encerrado após o pagamento, segundo os trabalhadores.

Fonte | G1 MT

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta