Carlos Fávaro, no entanto, não quis comentar sobre eventual candidatura na eleição do ano que vem

O vice-governador e secretário de Estado de Meio Ambiente, Carlos Fávaro (PSD), anunciou que deve deixar a Pasta antes de março.

A medida vai abrir caminho para uma candidatura, embora ele prefira não falar em eleição por enquanto. Nos bastidores, especula-se que ele possa ser candidato ao Senado.

Fávaro assumiu a Secretaria em abril de 2016, quando a promotora Ana Peterlini teve que deixar a Pasta após o Supremo Tribunal Federal (STF) impedir que membros do Ministério Público ocupem cargos no Executivo.

De acordo com o vice-governador, sua missão na Secretaria está prestes a ser concluída. Ele foi nomeado para assumir a Pasta para reestruturar o setor por meio de melhorias nos licenciamentos, no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e em outros itens relacionados ao Meio Ambiente.

“Eu não queria assumir nenhuma secretaria, pois estava cumprindo meu papel constitucional de vice-governador, que tem a função de atender as demandas do Governo. Mas com a decisão judicial de que membros do Ministério Público não podem ocupar cargos no Executivo sem renunciar a suas carreiras, tive de cumprir a missão de reestruturar a Secretaria”.

“Essa reestruturação está chegando ao fim. Na hora que chegarmos em um bom tom, quando a reestruturação da Secretaria estiver completa, vou deixar a Sema”, declarou.

Ao ser questionado sobre quando deve sair, o vice-governador optou por não definir uma data, porém sinalizou que a saída ocorrerá ainda nos primeiros meses do próximo ano.

“Talvez eu saia antes [de março]”, limitou-se a dizer.

Apesar dos comentários sobre candidatura, ele não comentou sobre a situação eleitoral do próximo ano.

“Somente discutirei questões eleitorais no próximo ano”, declarou.

 

Imbróglio

No início deste ano, a saída de Fávaro do comando da Sema era dada como certa. Ele chegou a anunciar, em dezembro passado, que sairia até junho deste ano.

Em razão das declarações do vice-governador, diversos partidos aliados de Taques demonstraram interesse na vaga. A situação chegou a gerar racha entre aliados do governador.

Para evitar impasses na base governista, Fávaro decidiu permanecer ao longo deste ano.

 

Fonte | MidiaNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *