Com a chegada do inverno é comum o aumento de doenças respiratórias e pragas urbanas. Apesar da reprodução de pragas ocorrerem durante estações mais quentes é durante as temperaturas amenas o período mais adequado para adotar medidas protetivas e corretivas mais eficientes.

Os insetos passam por um processo similar à hibernação durante os meses de inverno, entrando em uma espécie de repouso e, se não combatido nesse período, as chances de haver uma infestação nos meses mais quentes são muito altas.

Glaucia Brustolin, CEO da Dr. Sanitiza, empresa atuante no ramo da sanitização e controle de pragas destacou que, quando bem-feito, a dedetização elimina as pragas em seus três estágios: ovos, larvas e insetos.

“Para cada tipo de praga é utilizado um produto e técnica diferente, com aplicação de produtos específicos. É muito importante que o procedimento seja feito por uma empresa certificada para que haja a eliminação completa e o processo não cause danos para outros animais do local, como os domésticos, por exemplo”, pontuou a CEO.

O termo dedetizar vem do nome de um pesticida chamado DDT que ficou popularmente conhecido a partir dos anos 60. Porém, para cada colônia de insetos, utiliza-se o termo específico a partir do nome do inseto, por exemplo, colônia de cupins é descupinização, ninhada de ratos, desratização, e assim por diante.

A dedetização acaba com baratas, formigas, cupins, moscas, ratos, escorpiões e aranhas. Essas pragas urbanas podem causar desde irritações na pele até sintomas mais sérios e, em caso de animais de estimação ou crianças em casa, alguns destes podem ser letais.

Via | Assessoria   Foto | Assessoria

 

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta