Demandas são para áreas como robótica, redução de carbono e tecnologias digitais. Sebrae é parceiro do programa

A Petrobras lança nesta terça-feira (17), com apoio do Sebrae, o 4º edital do Módulo Startups do Programa Petrobras Conexões para Inovação. No valor total de R$ 20 milhões, o edital traz 31 desafios distribuídos em sete frentes tecnológicas: robótica, redução de carbono, tecnologias digitais, armazenamento e geração de energia, corrosão, modelagem geológica e tecnologias de inspeção. Ao final da seleção, as empresas vencedoras recebem valores até R$ 1,5 milhão para tocarem seus projetos. O investimento depende do nível de complexidade dos desafios (soft ou deep tech). As inscrições vão até o dia 29 de junho e a divulgação das selecionadas na primeira etapa do processo está prevista para julho.

“A companhia é uma das principais investidoras em inovação aberta do país, com cerca de R$ 36 milhões em investimento ao longo de três anos apenas no Módulo Startups do programa Petrobras Conexões para Inovação. Ele contribui para o desenvolvimento de tecnologias e serviços inovadores, acelerando a incorporação de inovações na empresa. Nas edições anteriores do Módulo Startups, objeto deste edital, selecionamos 37 empresas para desenvolvimento de soluções”, afirma o diretor de Transformação Digital e Inovação da Petrobras, Juliano Dantas.

O Módulo Startups busca projetos inéditos que tragam soluções inovadoras para os desafios apresentados. As empresas selecionadas contarão com o apoio do Sebrae – parceiro da Petrobras nesse módulo do programa – e a expertise do corpo técnico da companhia para atividades como adequação das propostas selecionadas na primeira etapa e preparação para o pitch day (apresentação para banca final de jurados). Os vencedores da etapa final recebem investimento financeiro e mentoria para os projetos e modelo de negócios. Ao final de todo o processo, as empresas contam com a oportunidade de se tornarem fornecedoras da Petrobras, com potencial de escalar na indústria nacional e internacional.

“O nosso propósito é viabilizar que os pequenos negócios sejam protagonistas na cadeia de Petróleo e Gás, desenvolvendo tecnologia de ponta e inovação. Durante a participação no programa, o Sebrae oferece todo o apoio necessário às startups, desde a orientação para a execução físico-financeira dos projetos, em conformidade com os requisitos exigidos, às ações de suporte para o aumento da competitividade e a elaboração de modelos de negócios”, destaca o diretor-técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick.

O interesse da Petrobras em estreitar o relacionamento com o ecossistema de inovação, especificamente com startups e pequenas empresas de base tecnológica, deu origem ao Módulo Startups. O investimento visa atender às demandas mapeadas internamente na companhia e ao desenvolvimento ágil de soluções com possibilidade de implantação na indústria de óleo e gás. Os resultados já são visíveis. Por meio do programa, a empresa compartilha de forma sistemática os seus desafios e aporta recursos nas melhores startups, que se interessem em cooperar para resolvê-los. É uma forma de contribuir com a sociedade não só incentivando pesquisa e inovação, mas também gerando demanda.

Harpia

A startup CTR3SM, selecionada no edital 2020, é um exemplo: ela entrega, este mês, o projeto Harpia. Trata-se de uma aeronave remotamente pilotada que, assim como a ave, tem visão e sensibilidade aguçadas. É uma espécie de drone, dotado de sensores e câmeras que será usado para inspeção de áreas industriais extensas e de difícil acesso. Um software, baseado em Inteligência Artificial, também foi desenvolvido para detectar, com precisão, o tipo, o grau de corrosão e a necessidade de reparo. Além da redução de custos e de horas trabalhadas, o recurso evita a exposição de pessoas ao risco.

O case da CTR3SM é uma história de superação. André Carvalhais, um dos quatro sócios da startup, viu uma proposta de trabalho naufragar por conta da pandemia. Acabou chamando o então chefe para criar uma empresa e buscava financiamento quando soube do edital da Petrobras. “A gente tinha uma ideia para inspeção de ativos do setor elétrico e vimos que tinha uma oportunidade ali. Já participamos de outros editais, mas o processo da Petrobras é dos mais transparentes: há um edital público, os critérios são muito bem definidos. A Petrobras tem a maturidade da execução financeira. Você entra sabendo o que vai poder gastar. O nível de exigência é alto, mas você tem todas as condições para execução”, avalia André, que agora pensa nas oportunidades do mercado.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta