O Instituto Soja Livre (ISL) participa do IX Congresso Brasileiro de Soja e Mercosoja 2022, em Foz do Iguaçu (PR), de 16 a 19 de maio. O evento tem como tema “Desafios para a produtividade sustentável no Mercosul” e abordará desafios tecnológicos dos sistemas de produção, novas oportunidades para a cadeia produtiva, com a sustentabilidade como conceito transversal.

Dentro desta temática, o instituto mostrará aos participantes do congresso o trabalho de fomento de informações atualizadas e importantes para maior competividade nos negócios envolvendo a soja convencional. O Instituto Soja Livre tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da soja convencional (não-transgênica).

O Brasil plantou, na safra 2021/22, 39,91 milhões de hectares de soja, mais de 792 mil hectares foram de soja convencional (2% da área), com produção estimada de 2,7 milhões de toneladas. O maior produtor da soja convencional é Mato Grosso, com produção correspondente a 45% da área total, 370 mil hectares, seguido dos estados do Paraná, Goiás, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

Atualmente, são 15 materiais de soja convencional em campo fomentadas pelo Instituto Soja Livre, dez unidades demonstrativas (em Mato Grosso, Rondônia e Goiás), dois lançamentos da Embrapa – BRS 7582 e BRS 7781, e três materiais em fase de registro – BRS 7181, BRS 7381 e BRS 7483.

A rentabilidade da soja convencional vem sendo comprovada pelos produtores rurais que escolhem estas variedades. Segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a rentabilidade da soja livre no ciclo 2022/23 é 69,3% maior que a soja transgênica na receita líquida. Apesar do custo de produção ser 3% maior, o ganho é de 7,5 sacas por hectare no convencional, com prêmios médios de US$ 6 (fonte: Custos de Produção mar/2022).

Mais informações sobre o Instituto Soja Livre em www.sojalivre.com.br e @soja.livre.

Via | Assessoria  Foto | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta