A parceria visa apoiar o desenvolvimento do projeto Ecossistema de Inovação e Soluções Educacionais Digitais.

O ministro da Educação, Victor Godoy, se reuniu na quarta-feira (4) com o diretor-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Gileno Gurjão, para tratar sobre o Acordo de Cooperação Técnica (ACT) celebrado entre os dois órgãos, cujo objetivo é auxiliar na implementação do projeto “Ecossistema de Inovação e Soluções Digitais Educacionais”.

O projeto visa aproximar o mercado privado das escolas e instituições de ensino com o fornecimento de soluções consolidadas e inovadoras para acelerar o processo de inclusão digital nesses locais, além de apoiar as ações de recuperação das aprendizagens. O prazo de vigência do acordo será de três meses, podendo ser prorrogado por igual período contado a partir de 19 de abril.

Segundo o ministro Victor Godoy, a iniciativa aprimorará e complementará o ensino com soluções de tecnologia da informação e equalizará o acesso aos serviços digitais para a educação. “Precisamos avançar nesse eixo da tecnologia, que é uma das prioridades do MEC, conjuntamente com a recuperação das aprendizagens. A medida vai ofertar, de forma inovadora, acesso a sistemas tecnológicos para a rede de ensino pública do país.”, destacou.

O diretor-presidente do Serpro informou que o órgão apoiará o MEC na disponibilização de soluções digitais para aproximadamente 138 mil redes educacionais, ação que poderá beneficiar cerca de 38 milhões de estudantes. “Com essa nossa iniciativa, pretendemos levar às crianças brasileiras, aos futuros cidadãos deste Brasil, o máximo possível de educação e buscar também auxiliar na recuperação da aprendizagem provocada pela pandemia de Covid-19.”, afirmou Gileno Gurjão.

O Serviço Federal de Processamento de Dados também atuará como um intermediário do MEC na interlocução com o mercado privado, para a captação de soluções tecnológicas e ofertar sistemas e soluções diretamente às redes de educação de estados e municípios. Os entes federados poderão contratar os serviços oferecidos pelo Serpro de forma simplificada.

André Castro, subsecretário de tecnologia do Ministério da Educação, reforça a visão de construção de um espaço de oportunidades variadas de tecnologia para as redes. “Considerar um modelo onde cada município e estado tenha que dialogar com o mercado, conhecer oportunidades, avaliar ofertas, além de processar todo o ciclo licitatório em sua plenitude é um grande desafio. Buscamos, portanto, criar formas de acesso diferenciadas e inovar constantemente na política de oferta, respeitando a autonomia federativa e consolidando o papel ativo do MEC na coordenação e disponibilização de tecnologias a serviço da educação para apoio às redes”.

Em breve, o MEC disponibilizará um espaço dedicado à iniciativa com detalhes das ações e como as redes de ensino e parceiros privados poderão dialogar em torno do projeto.

Via | Assessoria de Comunicação do MEC com informações da STIC/SE

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta