Há quase 200 anos, às margens do Rio Ipiranga, D. Pedro I levantou sua espada e soltou um grito que ecoa até hoje: “Independência ou Morte”. A máxima ensinada nos primeiros anos de escola rompeu a ligação do Brasil com o império de Portugal e consolidou o nosso País como uma nação independente e livre. Hoje, lutamos contra um só inimigo: o vírus da Covid-19. E nessa batalha a prioridade é vacina no braço.

Neste 7 de setembro, quando o País se veste de verde e amarelo, celebramos o dia da Independência do Brasil com uma marca significativa. Até o momento, mais de 202 milhões de doses de vacina Covid-19 foram aplicadas em todos os estados e Distrito Federal. Com o avanço da Campanha de Vacinação, o Governo Federal coloca nas ruas um “exército” de quase 135 milhões de brasileiros que, nesta guerra contra o coronavírus, carregam no braço uma arma poderosa: a primeira dose da vacina.

“A vacina, de fato, é a nossa principal arma para acabar com o vírus da Covid-19. Temos dito e repetido isso pelos quatro cantos do Brasil. Hoje, lutamos contra um inimigo invisível, lutamos novamente pela liberdade. Pela liberdade de poder voltar ao nosso convívio normal, de abraçar nossos familiares e amigos, de trabalhar e retomar a economia brasileira. E só vamos conseguir vencer vacinando toda a população brasileira”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

A vacinação contra a Covid-19 no Brasil já reflete nos números da pandemia no País. Há mais de cinco dias, a média móvel de mortes registra número abaixo de 700. A curva está em queda desde junho, quando o Ministério da Saúde reforçou a Campanha de Vacinação com o envio de mais doses às unidades federativas. Nos meses de junho, julho e agosto foram distribuídas mais de 150 milhões de doses. Embora estejamos armados contra a Covid-19, as medidas não-farmacológicas continuam.

“Além da vacina, a gente precisa fazer uso dessas medidas chamadas não-farmacológicas. Porque, por intermédio dessas medidas, a gente evita a transmissão do vírus e o contágio. Com os protocolos sanitários a gente garante uma retomada de todas as atividades da forma mais segura possível. Portanto, mesmo vacinado, medidas como higienização, distanciamento físico e o uso de máscara devem estar na nossa rotina todos os dias”, disse o Secretário-Executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz.

Desde o início da Campanha de Vacinação contra a Covid-19, 253,7 milhões de doses de vacina foram distribuídas para todo o País. Dessas, mais de 202,2 milhões foram aplicadas sendo 134,8 milhões como primeira dose. Ao todo, 67,3 milhões já completaram o esquema vacinal com a segunda dose ou dose única do imunizante. Os resultados colocam o Brasil em quarto lugar no mundo entre os países que mais vacinaram contra a doença.

Via | Assessoria Ministério da Saúde
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta