Seis pessoas foram presas nesta terça-feira (6) durante a Operação Safra, que investiga o esquema de uma organização criminosa que furtava e roubava cargas de grãos em Mato Grosso, São Paulo e Paraná. Segundo a polícia, três pessoas responsáveis pela transportadora seriam os chefes do esquema.

As prisões ocorreram em São Paulo e no Paraná. Além disso, quatro caminhões e seis carretas foram apreendidas.

A Polícia Civil de Mato Grosso disse que o objetivo da operação é cumprir 31 mandados de prisão.

As investigações, que ainda estão em andamento, iniciaram na Delegacia de Paranatinga, após registrou de furto de cargas.

A partir de outras ocorrências registradas nas cidades de Sorriso e de Ipiranga do Norte, a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) identificou um esquema criminoso envolvendo uma empresa de transportes, sediada no município de Assis (SP), que vem sendo utilizada para a prática dos crimes.

Durante muitos anos, o proprietário da empresa e demais integrantes desviavam cargas de grãos em Mato Grosso, conforme constam em mais de 40 boletins de ocorrência registrados pelas empresas proprietárias das cargas.

“Eles agiam como verdadeiros piratas da soja. Saiam de São Paulo, conduzindo seus caminhões até Mato Grosso. Lá, eram subcontratados por empresas transportadoras maiores, tinham acesso a fazendas de grãos, de soja, sendo que, nesse meio tempo, eles desapareciam e as vítimas não conseguiam mais ter contato. Eles fraudavam ticket de entrega do carregamento”, explicou o delegado Hugo Abdon.

Mato Grosso é o maior produtor de soja do Brasil. A polícia estima que cada carga roubada valia em média R$ 150 mil.

Somente em Paranatinga, a quadrilha furtou duas cargas de soja de caminhões bitrens causando um prejuízo de R$ 300 mil. Em Ipiranga do Norte, os criminosos desviaram quatro cargas completas de soja avaliadas em aproximadamente R$ 600 mil.

Via | G1
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta