Formato ágil de transferência bancária tem conquistado clientes e varejo 

Anunciado pelo Banco Central no início de maio de 2020, o Pix começou a operar em novembro passado e, desde então, tem ganhado força por sua agilidade nos processos de transferência, cobranças e pagamentos. Exatamente por isso, foi natural que o varejo começasse a pensar em usá-lo em transações diárias com clientes.

Seguindo esta tendência nacional, em Mato Grosso as redes de supermercados já começaram a implantar a forma de pagamento como possibilidade para seus clientes. É o caso da Casa Aurora, presente em quatro cidades da Região Norte do Estado.

“Percebemos este movimento das transações por Pix aumentarem cada dia mais no país e nos perguntamos: por que não aqui? O Pix é uma forma de pagamento interessante porque pode ser feito apenas com o celular e de forma muito rápida, tanto para o cliente quanto para o caixa que estiver atendendo. Assim, contamos com auxílio de profissionais de Tecnologia de Informação (TI) para que pudéssemos implantar nas lojas de Sinop, Sorriso, Matupá e Guarantã do Norte”, explica a empresária a frente da Casa Aurora, Cristhini Sangaletti.

De fato, o Pix tem se mostrado uma ferramenta cada vez mais usual no país. De acordo com o Banco Central, até mesmo entre o público de idade mais avançada a nova forma de pagamento, transferência ou recebimento de valores tem sido um sucesso. Até março deste ano, aliás, o Banco Central contabilizou R$ 278,4 bilhões em transações via Pix.

“Temos que estar atentos e dispostos a nos preparamos para o que vem acontecendo no mundo. É assim desde sistemas internos da rede como também em ações que impactam na vida do consumidor. Em tempos de pandemia, quanto mais ágeis pudermos ser, melhor”, completa Cristhini.

Você já sabe o que é o Pix? – O Pix é um sistema de pagamento instantâneo desenvolvido pelo Banco Central, para facilitar transferências e pagamentos, prometendo disponibilidade, velocidade e conveniência e, ainda, aprimorando a experiência dos usuários.

O modelo tem grande potencial para conquistar consumidores e varejistas do setor supermercadista.  Disponível 24 horas nos sete dias da semana, o Pix começou em novembro de 2020. No caso dos supermercados, cada rede poderá utilizar o modelo de duas formas: como pagador, para quitar  fornecedores, e como recebedor, no caso em que seus clientes escolham o Pix para pagar as compras. 

Como funciona na prática? – Após fazer a leitura dos produtos no caixa, é dada ao cliente a opção de realizar o pagamento pelos meios utilizados pelo supermercado, dentre eles o Pix. Ao selecionar esta opção, o sistema de vendas da loja disponibiliza um QR Code para que o cliente faça a leitura por meio do celular e inicie o pagamento.

No dispositivo do cliente aparece a confirmação com os dados da compra e do recebedor. Após a confirmação, em no máximo 10 segundos, a transação é concluída, estando os recursos disponibilizados na conta do supermercado. Tanto cliente quanto supermercado recebem uma notificação de conclusão da transação.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta