A direção do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso – Subsede de Várzea Grande (Sintep/VG), com a colaboração de professores da rede estadual de ensino, analisou questões das provas da Avaliação Diagnóstica do Ensino Público do Estado de Mato Grosso (Avalia-MT) de Língua Portuguesa do sexto ano Ensino Fundamental ao terceiro ano do Ensino Médio.

O programa Avalia/MT, que tem por finalidade fazer o diagnóstico da aprendizagem dos alunos da rede, vem sendo executado pela Secretaria de Estado da Educação de Mato Grosso, secretário Alan Porto, juntamente com o Secretário Executivo Amauri Monge Fernandes, que tentou implantar o mesmo programa no estado do Paraná, que já está sendo investigado pelo Ministério Público devido a possíveis irregularidades

De acordo com a secretária de assuntos jurídicos do Sintep/VG, Maria Aparecida Cortez, (Cida Cortez) após análise das provas de Língua Portuguesa pode-se chegar às seguintes constatações:

  • Questões das provas são cópias da internet, onde pode ser encontrados textos, exercícios e as respostas das questões;
  • Os conteúdos são descontextualizados, fora da realidade dos estudantes da rede estadual;
  • As questões copiadas da internet não abordam a linguagem verbal, não verbal, gênero textual, classe gramatical, verbo, pronome; deixando as questões supostamente ‘mais fáceis’, inviabilizando a avaliação das habilidades necessárias dos alunos nesses conteúdos;
  • A prova diagnóstica que vem sendo executada pela SEDUC parte do objeto da aprendizagem aleatória, sem considerar a realidade do aluno, previsto na LDB, Lei de Diretrizes e Bases. Deste modo, não permite verificar quais alunos e em quais conteúdos os alunos apresentam dificuldades, principalmente considerando esses quase dois anos de aulas remotas;
  • As provas foram elaboradas pelo CAED, Centro de Políticas e Avaliação\MG. Ressaltamos que o avalia MT em questão faz parte das mudanças em execução pela SEDUC\ MT que inclui o chamado ‘sistema estruturado’ de ensino, que já foi denunciado no Paraná por fraude das apostilas que são cópias dos livros didáticos que fazem parte do Programa Nacional do Livro Didático do MEC.

“Essa análise da prova de Língua Portuguesa, ainda é um estudo preliminar, e mesmo não sendo um estudo aprofundado, podemos dizer que as provas em execução não são apropriadas para avaliar a aprendizagem dos estudantes do ensino público do estado de Mato Grosso”, aponta Cida Cortez.

A Direção do Sintep/MT, subsede de Várzea Grande, encaminhará o pedido de providências ao Ministério Público para que sejam apuradas todas as irregularidades, tanto do ponto de vista pedagógico, quanto financeiro. O Sindicato quer saber, quanto foi gasto de recursos da educação com as apostilas; quanto foi gasto com a impressão das provas; como foi feita a escolha da editora e da consultoria que elaborou as provas, bem como será solicitada a responsabilização do agente público responsável pelo chamado ‘sistema estruturado de ensino’, caso sejam constatadas as irregularidades mencionadas.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta