Como forma de prevenir os grandes incêndios florestais no Pantanal mato-grossense, o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBM-MT) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) vão realizar, entre os dias 15, 16 e 17 de junho, análises das áreas para realização da primeira queima prescrita e construção de aceiros em pontos estratégicos na região do Parque Estadual Encontro das Águas, na cidade de Poconé (104 km de Cuiabá).

O principal objetivo da queima controlada, autorizada pela Coordenadoria de Unidades de Conservação da Sema-MT, é proteger o Parque, que é uma das 46 unidades de conservação estaduais sob a responsabilidade do órgão ambiental. A região é conhecida internacionalmente como um refúgio de onças que podem ser observadas por turistas.

Com a aplicação da técnica do fogo controlado nas áreas, somente o excesso de biomassa (folhas, galhos secos) presente na superfície é consumido, reduzindo o combustível de fácil propagação do fogo durante o período mais crítico da estiagem no Pantanal.

O estudo é importante para avaliar e elaborar um planejamento estratégico da queima prescrita, devido às condições de umidade, temperatura e direção do vento. Fumaça e chamas poderão ser vistas toda a região, em especial por quem trafega pela região da MT-060, e por moradores das comunidades vizinhas, e pousadas.

Os aceiros são demarcações em uma área para criar uma espécie de faixa ao longo das cercas onde a vegetação foi completamente eliminada da superfície do solo. A finalidade é prevenir a passagem do fogo para área de vegetação, evitando queimadas e criando espaços para que os animais como onças e outras espécies menores possam escapar do fogo.

O Parque Estadual Encontro das Águas está delimitado em uma área de 108 mil hectares e é considerado um dos locais preferidos pelos turistas para a observação de onça-pintada. Segundo dados do Centro Integrado Multiagência (Ciman), nos incêndios florestais de 2020, cerca 55 mil hectares foram destruídos pelo fogo no Parque.

Uma equipe de quatro militares do Batalhão de Emergências Ambientais BEA, junto com os agentes da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) estão integrados para desenvolver essa ação. Serão utilizadas pás carregadeiras apreendidas durante operações de fiscalização contra infrações e crimes ambientais.

“Essa mesma região foi bastante castigada pelo fogo com os grandes incêndios florestais que atingiu as áreas desta unidade de conservação em 2020. Por isso, nossas atenções estão voltadas para realização do trabalho preventivo para construção de aceiro nesta região, criando linhas de defesa para evitar que as áreas sejam atingidas pelas chamas”, disse o comandante da Companhia de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do BEA, 1° tenente Isaac Wihby.

Período proibitivo do fogo

A medida antecede o período proibitivo do fogo, que começa no dia 1º de julho em todo o Estado, após antecipação em 15 dias por decreto estadual. Com o decreto, fica proibida qualquer atividade de limpeza de pastagem com o uso do fogo nas áreas rurais entre os dias até 30 de outubro de 2021. O uso do fogo em áreas urbanas é proibido o ano todo.

Via | Assessoria
(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta